José Eliton sanciona lei que reestrutura poder Judiciário

Projeto cria 33 varas especializadas, inclusive de combate ao crime organizado e à corrupção

Divulgação

O governador José Eliton (PSDB) sancionou nesta sexta-feira (3/8) a lei que altera a organização Judiciária no Estado de Goiás, com a criação de 33 novas varas – entre elas, as especializadas em combate à corrupção e para interiorização da execução penal – e também de seis novos cargos de desembargador do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-GO), entre outras medidas.

Em uma solenidade simples em seu gabinete no Palácio das Esmeraldas, com a presença do ouvidor do TJ, desembargador Itamar de Lima, e do presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), Wilton Müller Salomão, José Eliton se disse feliz por ter condições de escrever uma página importante na história do Judiciário goiano, ao sancionar a lei.

“Essa lei foi iniciativa do próprio Judiciário, alterada pelo Legislativo e agora sancionada pelo Executivo, mostrando que os poderes, quando atuam harmonicamente, respeitando a independência de cada um, agem para beneficiar a população”, destacou o governador, lembrando que o foco da lei é melhorar a oferta dos serviços a todos os cidadãos.

Na ocasião, o presidente da Asmego, Wilton Müller Salomão, destacou que a lei sancionada pelo governador José Eliton não tem parâmetros na história recente do Judiciário goiano. “Realmente o governador está escrevendo uma página importante na história do Judiciário, com sua reestruturação, a criação de 33 novas varas mais os cargos de desembargador, além da elevação de comarcas, o que ará com que o cidadão tenha uma melhor prestação jurisdicional”, afirmou Müller, ao falar da gratidão da magistratura ao governador.

Ele pontuou ainda que, das 33 comarcas, apenas três ficam em Goiânia. “A capital, embora demande melhorias, tem uma estrutura melhor, então é importante fortalecer o Judiciário no interior, isso é fundamental para o cidadão”, observou o juiz.

“Vossa Excelência está fazendo uma verdadeira revolução no Poder Judiciário”, enfatizou o ouvidor do TJ, desembargador Itamar de Lima, ao definir a importância e a extensão da lei sancionada pelo governador de Goiás, lembrando que nunca antes foi feito um projeto dessa magnitude. “Só um governador da área jurídica como o senhor para ter a sensibilidade de reconhecer a importância do Poder Judiciário no contexto do Estado”, arrematou Itamar.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

ziro

Só não ficou claro a seguinte questão relevante: quem vai fiscalizar o judiciário que recebe auxílio moradia de R$ 4.377,00?