José Eliton implementa políticas para combater evasão escolar em Goiás

Apesar de estatísticas favoráveis, governo segue a meta ousada de aproximar índice de zero

Governo de Goiás

O Instituto Mauro Borges e a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) traçaram um panorama da educação pública para descobrir as causas que levam à evasão escolar no Ensino Médio em Goiás, com base no Censo Escolar da Educação Básica de 2016.

O estudo foi feito a pedido do governador José Eliton, para a elaboração e implementação de uma política que diminua a evasão dos jovens goianos que cursam o segundo grau. Goiás, no entanto, está bem no cenário nacional, pois figura entre os cinco estados brasileiros com a menor taxa de abandono escolar no Ensino Médio. O governador quer imprimir uma meta ousada, de aproximar esse índice de zero.

A média goiana é de 5,5% do total de alunos matriculados nas redes públicas e particulares, abaixo da nacional, que é de 6,6%. Em Goiás, 31 dos 246 municípios não registraram nenhum abandono do ensino médio em 2016. Os dados foram disponibilizados pela Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (Seduce).

Segundo o governador, com base nos estudos elaborados pelos técnicos do governo, é possível “abrir perspectivas e novos horizontes dentro de uma ação que beneficia” não só “o Estado de Goiás”, mas “a nação brasileira” e, principalmente “o ser humano, os jovens, as famílias”, sintetizou.

O estudo constatou, entre outras coisas e que servirão de parâmetro, que os estudantes não brancos, do noturno, de cursos profissionalizantes, do sexo masculino e os com idade mais avançada são mais propensos a abandonar a sala de aula.

Em resumo, os principais fatores que provocam a evasão escolar estão ligados diretamente à indisponibilidade de estabelecimentos de ensino, necessidade de trabalhar e estudar ao mesmo tempo, gravidez, pobreza, doenças, problemas emocionais causados pela defasagem escolar e dificuldade de aprendizagem. A renda familiar e a falta de perspectiva de ingresso na Educação Superior também são razões que dificultam a permanência do aluno na escola.

Os resultados indicam, ainda, a ineficácia dos programas de transporte escolar, principalmente para quem vive na zona rural. Outro dado positivo está relacionado aos matriculados na EJA (Educação de Jovens e Adultos), que concluem o ano letivo com mais frequência. O envolvimento e a habilidade do professor com a disciplina ministrada também têm feito a diferença para que os alunos permaneçam na escola até a conclusão dos ciclos educacionais.

Um dos objetivos para a diminuição da evasão é o fortalecimento do Programa Jovem Cidadão, que já atendeu mais de 30 mil jovens ao longo de 17 anos. Outro vai buscar um maior envolvimento dos pais, que é um fator também considerado fundamental nesse levantamento.

O governador José Eliton comentou que o planejamento do seu governo prevê metas para a redução da evasão escolar com reflexos na área da saúde, segurança, formação pessoal e na área educacional, “afinal, quando você tem perspectivas não há dúvidas de que você, enquanto indivíduo, consegue se esforçar para se qualificar cada vez mais e a educação é o pilar mestre de toda essa cadeia”.

José Eliton tem afirmado que sua administração busca a modernização das diversas plataformas de serviços ofertados à população, e de ações que possam fazer com que centenas, milhares de pessoas tenham “o direito de sonhar com um futuro melhor”. Para ele, esse é o grande desafio. “Mesmo porque minha origem impõe que eu atue dessa forma”, justificou.

José Eliton terá como uma das metas do seu governo, conforme ressaltou, inserir o estado em definitivo no século 21, o século do saber e do conhecimento, “com práticas que garantam transparência à sociedade das ações públicas, princípios e valores atinentes à ética e às condutas dos governantes”.

Estatística e conclusão 

 Em Goiás, no ano de 2016, aproximadamente 87,6% das pessoas com idade entre 15 e 17 anos estavam matriculadas na Educação Básica. Apesar de ser o maior percentual já registrado, é uma das metas dessa proposta de governo impulsionar os esforços com o objetivo de alcançar a universalização das matrículas de jovens nessa faixa etária, sendo esta uma das propostas do atual Plano Estadual de Educação de Goiás (IMB, 2017).

Na comparação entre as redes pública e particular, verificou-se que há menores riscos de abandono para alunos de escolas privadas e também de escolas estaduais geridas pela Polícia Militar. “Eu disse que inauguramos um novo Tempo Novo em Goiás, onde a prioridade é o ser humano, dando a ele oportunidades; é possível avançar, é possível modernizar a partir do ponto em que chegamos; é possível andar para a frente com o olhar no amanhã”, disse o governador, ao destacar a eficiência da máquina administrativa para a oferta de melhores serviços à população.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.