José Eliton destaca liderança goiana na geração de empregos formais

Governador repercute dado que mostra que no primeiro semestre deste ano foram criados 31.725 postos formais em Goiás

O governador José Eliton ressaltou, nesta terça-feira (24/7), antes de embarcar para a cidade de Goiás, a trajetória positiva da economia goiana, confirmada agora com os números positivos da geração de empregos formais no Estado.

Mantendo-se nos primeiros lugares entre os estados que mais geram empregos no País desde o ano passado, Goiás assiste agora a uma mudança no perfil do emprego formal. O Estado, que está em quarto lugar na geração de empregos segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, tem na indústria e no comércio atacadista as maiores ofertas de vagas de trabalho. É o que mostram os dados divulgados esta semana.

Segundo o governador, a imprensa, local e nacional, destaca que Goiás tem revertido com segurança o cenário da crise econômica, ao ofertar, no mês de junho, 2.173 postos de trabalho, enquanto o Brasil teve saldo negativo de 661 vagas de emprego formal. Goiás ficou em quarto lugar, atrás apenas de Minas Gerais (12.143), Mato Grosso (2.412) e Maranhão (2.807). Além de se manter em uma das primeiras posições no ranking, o Estado diversificou o campo de geração de emprego, antes mais centralizado no setor agropecuário. O mercado goiano também tem exigido maior qualificação do trabalhador.

Goiás teve saldo positivo de empregos em todos os meses do primeiro semestre de 2018. José Eliton repercute o dado de que nos seis primeiros, foram criados 31.725 postos formais. No ranking do semestre, Goiás foi a quinta unidade da federação que mais abriu vagas de trabalho, atrás apenas de São Paulo (141.247), Minas Gerais (91.506), Santa Catarina (33.500) e Paraná (32.030).

Em junho, o setor de serviços foi o que rendeu o maior saldo de admissões, com 1.510 novas vagas. A indústria de transformação ficou em segundo lugar, com 811vagas, seguida pela construção civil, com 573. No primeiro semestre, os setores que mais geraram emprego foram a agropecuária (10.035), serviços (9.001) e indústria de transformação (8.744).

Em janeiro, Goiás teve o melhor janeiro dos últimos cinco anos na geração de empregos formais. De acordo com o Caged, o saldo positivo de vagas com carteira assinada foi de 5.732 postos – um resultado 20% melhor que o de janeiro de 2107. Em todo o Brasil, foram criadas 77.822 novas vagas, primeiro resultado positivo desde 2012.

Em 2017, Goiás foi o segundo estado brasileiro que mais gerou empregos. O Estado criou 25.370 novas vagas de trabalho com carteira assinada. O crescimento do mercado formal de empregos este ano, em Goiás, foi puxado pelo setor de serviços, que apresentou o maior saldo positivo com a oferta de 10.828 novas vagas de trabalho. A indústria da transformação também está na liderança da engrenagem da máquina geradora de empregos, seguida pela agropecuária.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.