Condenado a dois anos e meio de prisão por importunar sexualmente colegas de trabalho, o ex-repórter especial Gerson de Souza, 64, praticava atos libidinosos conscientemente. O relato das mulheres foi divulgado no mês passado pelas Camila Corsini e Camila Brandalise da Coluna Universa, do Uol

Um dos relatos aponta que o jornalista teria chegado na redação, se aproximado da vítima e forçado um beijo. “Beijou minha boca. Na hora, falei: ‘Meu, você está louco? O que você fez?’ E aí ele respondeu: ‘Roubado é mais gostoso’.”, disse uma das mulheres na denúncia.

“Apertava o braço e dizia que gostava [dessa parte] porque parecia pele da bunda. Essa era clássica. Acontecia em plena luz do dia e na frente de todo mundo.”, relatou outra vítima.

A única vez que se posicionou publicamente sobre as denúncias foi em maio de 2019, em seu Instagram, alegando que as denúncias não eram verdade.