Jornal francês que ironiza Maomé é atacado na França, 12 pessoas morreram

Segundo testemunhas, dois homens portando armas automáticas atacaram os escritórios do jornal satírico francês Charlie Hebdo

terrorismo frança

Foto: Reprodução William Molinié/ Twitter

Atualizada às 12h01

Um ataque promovido nesta quarta-feira (7/1) contra os escritórios do jornal satírico francês Charlie Hebdo fez 12 mortos e deixou quatro feridos em estado crítico, segundo o Ministério Público de Paris.

Informações anteriores, da Câmara Municipal de Paris e da polícia, davam conta de pelo menos um morto e seis feridos em estado grave.

A Presidência francesa informou que o presidente, François Hollande, se dirigiu para o local e convocou uma reunião do gabinete de crise para 15 horas (horário local). Já no local do atentado, Hollande concedeu uma entrevista coletiva.

Segundo testemunhas, dois homens portando armas automáticas atacaram os escritórios do jornal satírico francês Charlie Hebdo, em Paris.

A redação do jornal satírico, publicado semanalmente, já tinha sido atacada em novembro de 2011, quando um incêndio de origem criminosa destruiu as suas instalações.

Esse incidente ocorreu depois de o jornal publicar um número especial sobre as primeiras eleições na Tunísia após a destituição do presidente Zine el Abidine Ben Ali, vencidas pelo partido islâmico Ennahda, no qual o profeta Maomé era o “redator principal”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.