Meia Eriksen, da Dinamarca, esteve morto “por minutos” e não deve mais jogar, diz médico

O camisa 10 da seleção dinamarquesa teve uma parada cardíaca na estreia pela Eurocopa e foi ressuscitado ainda em campo

Eriksen recebe os primeiros socorros em campo | Foto: Reprodução

O meio-campista da Dinamarca, Christian Eriksen, que neste sábado, 12, sofreu uma parada cardíaca durante a partida em Copenhague contra a Finlândia, pela Eurocopa, não tinha patologias anteriores. A informação foi repassada pelo médico do Tottenham, Sanjay Sharma, equipe em que ele atuava até o ano passado.

Sharma disse que Eriksen morreu “por alguns minutos” e avaliou que “sua carreira no futebol possivelmente acabou”. “Algo deu terrivelmente errado, mas conseguiram recuperá-lo. A questão é o que aconteceu e por que aconteceu. Ele fez exames normais até 2019, então como essa parada cardíaca pode ser explicada?”, questionou o médico e professor de Cardiologia Esportiva em Londres, para a agência de notícias PA.

O jogador do Inter de Milão desmaiou aos 43 minutos de jogo no Parken Stadion, com parada cardiorrespiratória, e foi tratado no gramado pelos médicos, que tentaram reanimá-lo por quase 15 minutos. Só foi transferido para o hospital após estar estabilizado. Ainda internado, o quadro dele, neste domingo, é “estável” e “consciente”.

Sharma, que trabalhou com Eriksen durante a estada do dinamarquês no Tottenham (2013-2020), considerou que o fato de o jogador estar consciente é “um sinal muito bom”. Mas, na sua avaliação, quando o assunto é voltar a jogar, ele é pessimista: “Não sei se ele vai jogar futebol novamente. Francamente, ele morreu hoje, mesmo que por alguns minutos, mas ele morreu. Um profissional médico permitiria que ele morresse de novo? A resposta é não.”

Para o médico, “a boa notícia é que ele vai viver, a má notícia é que chega ao fim sua carreira”. Se vai jogar outra partida de futebol profissional não posso dizer; no Reino Unido ele já não jogava, seríamos muito rigorosos”, concluiu Sharma, que preside o grupo de especialistas em cardiologia da Federação Inglesa (FA).

* Com informações do portal Yahoo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.