Joesley diz que deputado pediu R$ 150 milhões para salvar Dilma do impeachment

Segundo delator, João Carlos Bacelar, do PR baiano, queria R$ 5 milhões para distribuir a 30 deputados e impedir que ex-presidente deixasse o poder 

Em um dos pontos de sua delação, o empresário e dono do Grupo J&F, Joesley Batista, afirmou que um deputado do PR baiano, João Carlos Bacelar, pediu R$ 150 milhões para pagar 30 deputados para votarem contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo ele, Bacelar queria repassar a cada um deles R$ 5 milhões.

No depoimento, Joesley diz que só conseguiria “comprar” cinco deputados, cada um deles por R$ 3 milhões, mas o parlamentar teria dito que era pouco. Ainda de acordo com o Joesley, a dívida final, ou seja, dos deputados que realmente foram contrários, foi de R$ 15 milhões, sendo que R$ 11 milhões seriam pagos a Bacelar e R$ 4 milhões ao ex-ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues (PR), que teria sido responsável por adiantar os pagamentos, por meio do próprio PR.

Joesley disse ainda que interrompeu os pagamentos e, até hoje, é cobrado pelo parlamentar. “Recentemente, paguei R$ 500 mil”, afirmou ele. O delator declarou não lembrar, entretanto, quem foram os deputados listados por Bacelar, acrescentando apenas que eles eram “do baixo clero”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.