Janot pede abertura de inquérito contra peemedebistas por atuação em favor de empreiteiras

Denúncia da procuradoria-geral da República envolve o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, e o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Cunha e Alves teriam pedido propina a Pinheiro em pelo menos oito ocasiões em um período inferior a um mês | Foto: José Cruz/ Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que abra inquérito contra o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo o pedido, os dois peemedebistas teriam atuado, segundo Folha de São Paulo, em favor da empreiteira OAS para obter verbas desviadas da Petrobras. O ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, também aparece na denúncia.

Além de Henrique Eduardo, Pinheiro e Cunha, Janot cita ainda o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB-SP), o secretário de Governo, Geddel Vieira Lima, e o secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimento, Moreira Franco. O pedido de abertura de inquérito foi feito em abril, mas é mantido em sigilo. Ainda não há confirmação do ministro do STF, Teori Zavaski, sobre a aceitação ou recusa do pedido da PGR.

Em suas investigações, Janot encontrou indícios de que a verba obtida por Alves foi utilizada para financiar sua campanha ao governo do Rio Grande do Norte em 2014. O ministro do Turismo teria se encontrado com empreiteiros em várias oportunidades e prometeu interceder pela OAS no Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte e no Tribunal de Contas da União para sanar pendências da empresa.

Embora envolva diretamente a OAS, o procurador-geral acusa Cunha e ele de obterem verbas da Petrobras para ajudar mais de uma empreiteira. Segundo o jornal, Cunha e Alves pediram propina a Pinheiro em pelo menos oito ocasiões em um período inferior a um mês.

Contra o presidente em exercício há a suspeita de que ele tenha recebido R$ 5 milhões da OAS em uma transação envolvendo o aeroporto de Guarulhos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.