Deputado estadual critica criação de novo cargo na Assembleia pelo Governo e cita matéria de Bruno Peixoto (MDB) que foi vetada

Deputado Coronel Adailton (PP) | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O deputado estadual Coronel Adailton (PP) criticou a criação do cargo de vice-líder do governo na Assembleia. “Se me fosse oferecido, eu não aceitaria. Já não tem líder, cria vice-líder?”, questionou.

Vale lembrar que, após o recesso, o deputado Zé Carapô (DC) assumiu o cargo de vice-líder na Casa e agora atua ao lado do líder do governo na Casa, Bruno Peixoto (MDB).

“O líder é um excelente deputado, mas ele lidera o que?”, argumenta Adailton, que lembra: “Ele pediu para votar contra a reeleição do presidente da Casa [antes do recesso], mas nós ganhamos de 28 a 7, salvo engano. Então não tem liderança. Um lugar que não tem liderança não cabe vice-liderança”.

Projeto vetado

O pepista também afirmou que o governo vetou um projeto que partiu do próprio líder do governo. Trata-se de uma proposta que Bruno apresentou para que sinistros médios em veículos constem documentado, mas não de forma retroativa a 10 dez anos, como previa inicialmente. A não retroatividade foi uma solicitação dos profissionais conhecidos como garageiros.

Segundo Coronel Adailton foi um projeto muito discutido com os revendedores de carros, os garageiros, que apontaram as dificuldades, inclusive jurídicas, da Lei retroagir a dez anos. “Então, chegou-se a conclusão que essa Lei seria votada, aprovada e sancionada, valendo a partir da data de sua publicação. O objetivo é impedir contendas jurídicas intermináveis”.

Porém, Adailton afirma que o governo, mesmo sendo o projeto do líder, discutido na Casa, com participação, também, de servidores do Detran que orientaram o melhor caminho, a Lei foi vetada após aprovação em primeira e segunda votação. “Mais uma vez, o governador demonstra insensibilidade com a Assembleia e com os deputados de Goiás. E a gente fica sem entender”.