Izídio Alves deixa liderança do PMDB na Câmara e fala que partido “tem que acordar”

O peemedebista Mizair Lemes disse que várias questões podem ter motivado a decisão de seu colega de partido, como por exemplo, de acordo com ele, desavenças entre PT e PMDB na Casa

Vereador Izídio Alves (PMDB)

Vereador Izídio Alves (PMDB)

O vereador Izídio Alves (PMDB) anunciou na manhã desta terça-feira (6/5) que está deixando a liderança do partido na Câmara Municipal de Goiânia. O vereador não falou claramente o motivo de sua saída, tendo dito que sua decisão foi baseada em sua “lealdade ao partido, honestidade e sinceridade”. Além disso, o peemedebista pediu: “PMDB, acorda!”

Questionado se algum fato específico teria gerado essa decisão, Izídio negou e creditou sua saída ao sentimento de que era isso que deveria fazer. Segundo informações de bastidores, Izídio e o presidente da Casa, Clécio Alves (PMDB), teriam discutido durante uma reunião na sala das comissões na manhã desta terça-feira (6/5), onde estavam tratando sobre o substitutivo enviado pelo prefeito Paulo Garcia (PT) ao projeto que cria o Cadastro Informativo Municipal (Cadin). Clécio estaria pedindo agilidade para a aprovação do substitutivo, quando Izídio dizia que deveriam analisar com calma.

Aprovado no dia 1º de abril, o Cadin é um cadastro dos inadimplentes no município que visa fiscalizar e negativar o nome dos devedores. Tanto Clécio quanto Izídio negaram que a decisão de saída do peemedebista tenha tido relação com a reunião desta terça-feira. Da bancada, Clécio lamentou a saída de Izídio e pediu que ele reconsiderasse a decisão.

Presidente metropolitano do PMDB, o vereador Mizair Lemes,  por sua vez, disse que várias questões podem ter motivado a decisão de seu colega de partido, como os problemas da Prefeitura de Goiânia e a dificuldade de administração do prefeito Paulo Garcia. “É possível também que essa decisão tenha sido causada por desavenças entre PT e PMDB”, disse Mizair, que recentemente gerou polêmica na Casa ao dizer que o PT e PMDB na Câmara deveria encerrar aliança, já que a nível estadual já não existe.

O vereador Virmondes Cruvinel (PSD) também disse que provavelmente a decisão de Izídio foi causada por desavenças entre os dois partidos na Casa.

Célia Valadão afirma que só o prefeito a tira da liderança do governo

A vereadora Célia Valadão (PMDB) rebateu as informações que surgiram de que ela iria sair da liderança do prefeito na Casa. A conversa surgiu após a parlamentar sair em lágrimas do plenário na última semana dizendo que teria uma reunião com o prefeito Paulo Garcia. “As únicas formas de eu sair daqui é por vontade minha, o que não irá acontecer, ou por vontade do prefeito”, disse a vereadora. Célia Valadão ainda disse que se alguém estiver querendo seu posto, que se apresente ao prefeito.

Logo após seu discurso, o vereador Djalma Araújo (SDD) usou o microfone no plenário para provocar a peemedebista: “Nunca vi alguém querer algo ruim.” O ex-petista usou da ironia, dizendo que Célia era mesmo uma guerreira para ficar na liderança do governo na Casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.