Israel e Palestina aceitam convite do papa para rezar pela paz no Vaticano

Autoridades palestinas e de Israel confirmaram viagem durante peregrinação do pontífice pela Terra Santa, iniciada sábado. Conversas de paz entre falharam em abril

Papa Francisco conversa com o presidente israelense, Shimon Peres, durante uma cerimônia oficial de chegada no aeroporto de Ben Gurion, perto de Tel Aviv. Foto: Reprodução/O Tempo

Papa Francisco conversa com o presidente israelense, Shimon Peres, durante uma cerimônia oficial de chegada no aeroporto de Ben Gurion, perto de Tel Aviv. Foto: Reprodução/O Tempo

Os presidentes Shimon Peres, de Israel, e Mahmoud Abbas, da Palestina, aceitaram neste domingo (25/5) o convite do papa Francisco para rezar pela paz no Vaticano. O encontro está marcado para 6 de junho. O presidente da Autoridade Palestina tinha pedido ao pontífice que participasse da busca de solução para o conflito com Israel.

Peres saudou a iniciativa do papa Francisco de oferecer “a sua casa” a israelitas e palestinos para rezar pela paz, afirmando que “sempre apoiou qualquer iniciativa” como essa. “O presidente aceita o convite do papa Francisco, sempre apoiou e vai continuar a apoiar qualquer iniciativa para promover a causa da paz”, disse fonte próxima do gabinete de Shimon Peres. Mahmoud Abbas também aceitou o convite para rezar pela paz com o presidente de Israel.

“Muitos constroem a paz dia a dia com pequenos gestos, pequenas coisas, muitos deles com sofrimento mesmo sem ter consciência disso. Aqueles que fazem parte da Igreja têm a obrigação de se tornar ferramentas para a paz, especialmente por meio das orações”, disse Francisco.

Antes de iniciar a missa na Praça da Manjedoura, em Belém, o papa, que começou no último sábado (24) uma viagem pela Terra Santa, admitiu que construir a paz “pode ser difícil”, mas disse que “viver sem paz é um sofrimento”.

Na missa, ele falou sobre a importância da defesa da infância, considerando que as crianças são o “diagnóstico” do estado de saúde das famílias e das sociedades. O papa pediu proteção para os menores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.