Isolamento 14×14 recebe apoio da maioria dos prefeitos goianos e autoridades

Reunião na manhã desta segunda-feira, 29, entre governador, especialistas da UFG, gestores e autoridades conseguiu consenso da maioria por medida de contenção do Covid-19

Governador Ronaldo Caiado (DEM) em reunião com prefeitos e autoridades nesta segunda, 29

Em reunião de prefeitos goianos na manhã desta segunda-feira, 29, a recomendação do governador Ronaldo Caiado (DEM) de isolamento 14×14 foi aprovada pela grande maioria dos gestores. O professor e doutor da Universidade Federal de Goiás (UFG), que faz parte do Comitê de Operações Estratégicas (COE), que faz estudos, projeções e orientações em relação ao novo coronavírus explicou aos prefeitos, com base científica as contaminações e óbitos possíveis em todo Estado nas próximas três semanas.


O procurador de Justiça Aylton Vechi, do Ministério Público de Goiás, demonstrou apoio às orientações dadas pela UFG. “É preciso que tenhamos a consciência de que não há uma deliberada liberdade para cada um fazer o que quer. Precisamos de uma coordenação”, afirmou.”A falta de uma coordenação pode levar à perda de vidas, e o Ministério Público, neste aspecto, tudo fará dentro dos limites legais e judiciais para que haja a preservação da vida, sem o comprometimento da subsistência e da economia”, acrescentou Vechi.


Autoridades como presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o deputado estadual Lissauer Vieira (PSB), o desembargador e vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-Go) Nicomedes Domingos Borges, o defensor público-geral Dominlson Rabelo da Silva Júnior e o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-GO), conselheiro Joaquim de Castro, também participara da reunião e demonstraram apoio às recomendações dos especialistas da UFG.


“Estamos de acordo, referendamos todo o seu trabalho, aprovamos essa medida e pedimos aos prefeitos, que têm a prerrogativa, que possam seguir o decreto ou as determinações do Governo do Estado, através da UFG”, declarou Lissauer.


“Isso é demonstração de maturidade política, de responsabilidade nesse momento de crise, e estou inteiramente de acordo com as medidas que o senhor [governador] já anunciou que serão tomadas a partir de amanhã”, afirmou o desembargador do TJ-GO.


“Nossa sugestão é que esses prefeitos, que todos os poderes, membros de órgãos autônomos, que identifiquemos essa comunicação, essa informação, porque a saúde é coletiva, é um bem maior. Tudo que foi exposto indica e sinaliza um colapso se não agirmos rapidamente”, recomendou o defensor público-geral Domilson Rabelo.


“Da parte do TCE, governador, penso que acatar essa tese, cientificamente sugerida pela UFG, é, nesse momento, sim, o melhor caminho”, avaliou Joaquim de Castro.


Otávio Lage, presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial) defendeu que se faça o que for melhor para evitar mortes. ““Cada município vai tomar sua decisão. Tenho certeza que todos os prefeitos e prefeitas estão preocupados com a vida das pessoas e em seguir realmente as orientações que vem do Estado”, apontou o presidente da Federação Goiana dos Municípios (FGM), José de Sousa Cunha.


A deputada federal Flávia Morais (PDT) solicitou, durante reunião, que os prefeitos seguissem com as orientações do governo estadual. “Quero declarar nosso apoio a essa decisão e fazer um apelo a todos os prefeitos que, têm autonomia de gerir em seus municípios e definir qual será o tipo de bloqueio, mas que acompanhem o decreto estadual para que a gente tenha o mínimo de óbitos possível no Estado”, disse. O senador Luiz do Carmo (MDB) também corroborou a decisão do governador Ronaldo Caiado.


O prefeito Iris Rezende (MDB) também demonstrou completo apoio ao gestor estadual: Estamos aqui acompanhando todas as diretrizes ditadas por vossa excelência e, assim, acompanharemos”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.