Irregularidades em UTIs de Goiânia são tema de debate na Assembleia

Relatório elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde aponta para leitos inutilizados e outros deficitários em equipamentos

Deputado Marlúcio Pereira | Foto: Marcos Kennedy

A Assembleia Legislativa de Goiás promove na próxima segunda-feira (6/11) uma audiência pública para debater o problema de acesso a leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) por pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em Goiânia e região metropolitana.

O problema foi revelado por um relatório elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) de Goiás, que apontou que o número de leitos efetivamente funcionando é menor que o contratado pelas prefeituras. Além disso, o levantamento identificou UTIs com deficiência em equipamentos e pessoal qualificado paraa o atendimento.

A audiência pública realizada após requerimento do deputado Marlúcio Pereira (PSB).  “É inadmissível saber que tem pessoas morrendo numa fila de UTI, enquanto estas unidades estão sendo utilizadas de forma irregular”, ressalta o parlamentar.

As irregularidades identificadas em Goiânia apontadas no relatório já são alvo da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal.

Confirmaram presença no debate o superintendente de Acesso a Serviços Hospitalares e Ambulatoriais da SES-GO, e coordenador do grupo que executou a investigação, Cleudes Baré, o presidente da Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás, Haikal Yaspers Helou, o diretor Técnico do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), Ricardo Furtado Mendonça, a secretária municipal de Saúde de Goiânia, Fátima Mrue, o promotor de justiça, Eduardo Silva Prego, o secretário municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia, Luiz Edgar Toline, o diretor técnico do Hospital de Urgências de Aparecida (Huapa), Elisandro da Cunha Sousa, entre outros.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.