Iristas vão argumentar que Iris Rezende segue como o nome mais competitivo

Encontro foi iniciado pouco depois das 9h desta segunda-feira. Pró-Iris também vão enfocar a pouca atuação de Friboi desde que o ex-prefeito retirou seu nome

Na reunião no diretório estadual do PMDB marcada para a manhã desta segunda-feira (12/5) representantes de Iris Rezende vão enfocar a tese de que Júnior Friboi, pré-candidato ao governo pela sigla, não crescerá o suficiente para polarizar com o provável candidato da base, o governador Marconi Perillo (PSDB). Junto à fala sintonizada entre iristas somam-se as críticas de que o neopeemedebista, desde o recuo do ex-prefeito, não atuou de fato para agregar valor à chapa que encabeçará. “Agora o Júnior [Friboi] vai ter que ficar de molho por um mês por conta de uma cirurgia, o que dificulta ainda mais”, comenta um integrante do grupo pró-Iris. O procedimento cirúrgico está marcado para esta terça-feira (13) e, segundo sua assessoria de imprensa, a recuperação deve durar entre 10 e 15 dias.

O que se espalha nos corredores iristas é que o líder peemedebista não comporá na chapa se não for para o governo –– o que indica que não jogou a toalha em definitivo ––, sendo que conversações que trariam o deputado-federal Ronaldo Caiado (DEM) como candidato ao Senado teriam avançado somente se a cabeça fosse Iris, com Friboi na vice.

Neste cenário de indefinições peemedebistas, pesquisa realizada pelo Instituto Fortiori e publicada hoje pelo jornal “Diário da Manhã” –– a primeira após a retirada do nome de Iris do tabuleiro das pré-candidaturas –– mostra que Marconi Perillo dispara e poderia vencer já no primeiro turno, minando os planos oposicionistas. Na espontânea, o nome de Iris é lembrado (6% das citações) e fica em segundo, atrás do tucano (17%), enquanto Friboi empata com o petista Antônio Gomide nos 2% de indicações, ambos em quarto. Vanderlan Cardoso (PSB) figura em terceiro, com 3%.

Há informações ainda de que desde que Iris abriu o caminho a Friboi o empresário estaria se esquivando de seus aliados federais, a bancada do PMDB goiano na Câmara dos Deputados, com exceção à dona Iris. O comentário é de insatisfação e de telefonemas não atendidos por Friboi, diferente da situação de quando ele não era o único pré-candidato.

Iris Rezende estaria disposto a aguardar “o chamado” do partido até o dia 30 de junho, caso contraria focará na eleição de quatro nomes de aliados para a Câmara Federal, entre os quais sua esposa Iris de Araújo e Lívio Luciano. Os outros dois nomes seguem em sigilo.

Nesta tarde os demais partidos oposicionistas têm encontro agendado para as 16h, na sede do PTN do deputado Francisco Gedda, defensor árduo do nome de Friboi para a cabeça de chapa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.