Iris ignora desgaste com a Câmara e desmente vereador sobre xingamento de secretário

Prefeito desconhece declaração de Kleybe Morais: Samuel Almeida chamou vereadores de “burros”. Mesmo assim, ele afirmou que secretário “jamais” seria capaz de tal ato

Iris Rezende durante vistoria de obras no Parque Cascavel | Foto: Matheus Monteiro

O prefeito Iris Rezende (PMDB) ignorou completamente um claro desgaste entre a prefeitura e a Câmara de Goiânia. Questionado pelo Jornal Opção sobre a declaração do secretário de Governo Samuel Almeida que, segundo relato do vereador Kleybe Morais (PSDC), teria dito que na Casa “só tem vereador burro”, Iris desconversou. “Não sei disso, nunca ouvi falar”, afirmou em entrevista coletiva durante vistoria nesta quinta-feira (12/7) nas obras do Parque Cascavel, na região Sudoeste da capital.

A declaração de Kleybe foi feita em sessão plenária, onde ele afirmou que o xingamento teria sido feito no próprio gabinete do secretário quando ele o procurou para discutir a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Iris ainda chegou a insinuar que o vereador mentiu ao dar a declaração. “Eu não posso dar entrevista baseado em conversinha de pequenos encontros. Conheço o Samuel e ele jamais seria capaz de qualificar um vereador desta natureza”, declarou.

Na última terça-feira (11), até o vereador Clécio Alves (PMDB), um dos aliados mais antigos e fiéis de Iris Rezende na Câmara, já havia reclamado de Samuel durante a sessão da Câmara e voltou a repetir seu descontentamento depois do relato de Kleybe Morais: “Espero que ele [Samuel Almeida] me esqueça e não se dirija mais a mim para qualquer coisa que ele precisar. Não tem meu respeito, nunca teve e, a partir de agora, nunca terá”, sentenciou.

Defesa de Lula e Temer

Ainda nesta quinta-feira, Iris saiu em defesa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sério Moro nesta semana. Para o peemedebista, Lula merecia uma “consideração maior”. “Colocando na balança o que o Lula fez de positivo pelo Brasil e o que ele fez de mau, a balança pesa muito positivamente”, disse.

Ele ainda defendeu a permanência de Michel Temer no cargo de presidente até 2018. “Eu tenho feito uma força íntima para que não toquem no Michel. Já estamos sofrendo, se for mudar de presidente para eleger um outro daqui um ano, aí sim esse País vai entrar numa verdadeira anarquia”, finalizou.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.