Obra de continuação da avenida estava acordado em convênio do Goiás na Frente, programa que vai ser encerrado por Ronaldo Caiado

Foto: Livia Barbosa/Jornal Opção

Em coletiva concedida na manhã desta segunda-feira, 25, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), disse que a conclusão de extensão da Avenida Leste-Oeste dependem de recursos do Estado de Goiás, que se comprometeu a pagar metade por meio de convênio assinado no programa Goiás na Frente.

“Nós vivemos agora a substituição do governador, temos que ver se ele vai se dispor a cumprir o que foi acertado com o outro, porque custou à Prefeitura a desocupação de um espaço estadual, que era utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde. Diante dessa negociação o Estado se dispôs a assumir com metade dos custos, ou seja, numa obra de R$ 70 milhões, assumi, R$ 35 milhões”, disse.

Ocorre que, no início de fevereiro, o secretário de Governo, Ernesto Roller (MDB) anunciou a descontinuidade do programa de iniciativa do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), por falta de recursos. Indagado sobre o convênio com a Prefeitura de Goiânia para as obras de continuação da Avenida Leste-Oeste, o secretário explicou que o Protocolo de Intenções assinado em junho de 2018 previa, para a liberação dos recursos, a desocupação, por parte do município, de imóvel de propriedade do governo estadual, dentro do prazo de 120 dias.

“O que não aconteceu. Tendo em vista que o convênio não recebeu nenhum repasse e a falta de dinheiro, ele deve ser cancelado”, escreveu a Segov em nota enviada à época da decisão. “Não há recursos em caixa para os repasses. O Estado enfrenta um conjunto de dívidas que não permite darmos uma resposta afirmativa neste momento. Só para citar alguns compromissos que não foram cumpridos, temos o atraso da folha de pagamento de dezembro, os repasses para a área da Saúde, a falta de pagamento do Bolsa Universitária”, sublinhou Roller.

[relacionadas artigos=”166130″]

Frente a todas essas divergências e cruzamento de informações, famílias têm sido tiradas de seus espaços de moradia para dar lugar às obras. Na última semana, o Jornal Opção foi conferir como estava essa situação e se deparou com carros da Prefeitura fazendo a desapropriação de uma população carente no Setor Cidade Jardim. Leia no box ao lado.

A obra da Leste-Oeste previa a continuação da avenida do centro de Goiânia, onde se cruza com a Independência, até a saída para Senador Canedo. Mas até agora ela sequer começou.