Iris concretiza chapa com Ronaldo Caiado e Armando Vergílio, ex-aliados de Marconi

A debandada é motivada, de acordo com eles, pelo “espírito de goianidade” e pela “necessidade de mudança”. Ambos os recém-aliados criticaram a atual gestão do Estado

Foto: Marcelo Gouveia - Opção Online

Foto: Marcelo Gouveia – Opção Online

Com bastante otimismo, o PMDB concretizou na tarde desta quarta-feira (18/6) a composição de sua chapa majoritária. Encabeçada pelo decano peemedebista Iris Rezende, a coligação conta com dois nomes até então associados à base aliada e ao governador Marconi Perillo (PSDB). Tanto o pré-candidato ao Senado Ronaldo Caiado quanto o pré-candidato à vice-governadoria Armando Vergílio já estiveram “do lado de lá”, como os próprios políticos destacaram em seus discursos.

A debandada é motivada, de acordo com eles, pelo “espírito de goianidade” e pela “necessidade de mudança”. Os dois recém-aliados do PMDB teceram críticas à atual gestão do Estado de Goiás. Caiado, entretanto, foi mais direto em suas colocações. Ao afirmar que sua coerência está mantida, o democrata alegou que Marconi usa a máquina governamental para motivos puramente eleitorais.

Antes do discurso de Caiado, foi ouvido o áudio de uma entrevista gravada com o prefeito do município de Goiatuba, Fernando Vasconcelos (PMDB). O peemedebista é um dos 13 prefeitos da sigla que resolveram apoiar Marconi. Na gravação, ele sugere concessão de recursos por parte do Estado após o apoio político declarado. Momentos depois, o democrata condenou o episódio e afirmou que “o mesmo acontece com os prefeitos do DEM”. “Isso é o que existe de mais retrógrado. Usar a máquina de governo para querer calar as pessoas e sufocar as lideranças. Isso é crime eleitoral.”

Mais contido, Armando Vergílio afirmou que permanece convicto de seus princípios, mas que agora seu “entendimento” é outro. “Nós dialogamos com todas as forças políticas e nós tivemos em Iris Rezende a receptividade de todas as nossas propostas. Este é o melhor caminho”, amenizou.

Em segundo plano no evento que confirmou os novos aliados, Iris Rezende contou em discurso que logo após ser oficializado pré-candidato da legenda, na última semana, procurou Caiado e Armando Vergílio em prol da aliança. Diferentemente de eleições anteriores – quando a preferência do PMDB era a composição de chapas “puro sangue” –, Iris demonstrou confiança quanto aos votos que aglutinará após coligação com os colegas de outras legendas. Uma questão que, segundo o líder político, ultrapassa o interesse por mais tempo de TV.

Elemento Caiado

caiado irisComo se sabe, o Democratas, com o Caiado incluso, apoia o tucano Aécio Neves para presidente da República. Devido às relações estreitas entre PSDB e DEM, o pré-candidato a senador foi cotado, por diversas vezes, para fazer parte da chapa do governador Marconi Perillo. Indo contra a tendência de seu partido, no entanto, fechou com Iris Rezende.

Tratado como convidado de honra do evento que celebrou a aliança goiana entre PMDB, DEM e Solidariedade, Ronaldo Caiado garantiu possuir o aval da executiva de seu partido quanto à recente coligação. “O Democratas está com liberdade. O meu presidente José Agripino, no Rio Grande do Norte, está apoiando o PMDB, por exemplo.” Sobre a situação em Goiás, visto que a tendência até então é a de que o partido se alie à base, Caiado se mostra confiante.  “Tenho certeza de que todos, com o decorrer do tempo, irão nos seguir.”

Ao apontar que em âmbito estadual a realidade é outra, o democrata reforçou as críticas ao tucanato goiano. “Não tentem misturar. O que eles querem lá é exatamente mordomia de casado com regalia de solteiro. A base dele [Marconi] é constituída por quem está na base do governo. Não venham trazer isso para cima de Ronaldo Caiado”, finalizou.

E o Friboi?

Com uma divisão interna amargurada há bastante tempo, o PMDB parece finalmente ter encontrado um consenso quanto aos rumos eleitorais para 2014. Não foi à toa que os até então ferrenhos aliados do empresário Júnior Friboi, os deputados federais Sandro Mabel e Pedro Chaves, compareceram ao evento no escritório de Iris Rezende na tarde desta quarta-feira. Em discurso, ambos enalteceram a posição política dos componentes da chapa recém-criada.

Com isso, as informações de bastidores que apontavam para a possibilidade de retorno de Friboi ou de algum dos seus aliados, a tempo das convenções, parecem cair por terra. Em entrevista ao Jornal Opção Online, Pedro Chaves afirmou desconhecer qualquer articulação neste sentido. “Friboi não vai voltar. Não é candidato.”

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mario Borges

O PMDB vai apoiar Dilma Rousseff em Goiás , quero ver o Ronaldo Caiado abraçando o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva, vulgo Barba , abraçando o João Pedro Stedile e outros conhecidos das paginas policiais.

Heleno

Essa chapa veio pra vencer e libertar Goiás!