Iris acusa vereadores de manter interesses escusos e agrava crise com Câmara

Reunião da comissão que investiga caos na Saúde é marcada por críticas pesadas e diretas ao prefeito

A reunião desta sexta-feira (13/4) da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga o caos na saúde pública de Goiânia é marcada por críticas pesadas e diretas ao prefeito Iris Rezende (MDB).

No dia em que a secretária Fátima Mrué presta depoimento ao colegiado pela sétima vez, vereadores repercutem declaração do prefeito à imprensa na quinta-feira (12), quando afirmou que os parlamentares têm perseguido a titular da Secretaria Municipal de Saúde e, além disso, mantido interesses escusos por trás das investigações.

Nesta sexta, durante coletiva em Trindade, Iris reiterou as denúncias e chegou a afirmar que marcaria coletiva de imprensa para apontar as “motivações reais” de integrantes do colegiado.

As falas caíram como uma bomba entre os vereadores da CEI, que passaram a exigir que o prefeito apresente provas e cite os parlamentares que poderiam estar envolvidos em conluios.

Presidente da comissão, o emedebista Clécio Alves disse que a prefeitura precisa respeitar a Câmara de Goiânia e definiu como desrespeitosas as declarações.

Os vereadores também fizeram críticas à negativa da secretária e da Procuradoria Geral do Município em responder requerimentos da CEI sob a justificativa de que o colegiado estaria extrapolando sua funções.

“Talvez, a secretária e a procuradora-geral não saiba, mas os vereadores têm como função fiscalizar o Executivo. Mesmo que não existisse CEI, a prefeitura tem que responder aos vereadores”, defendeu Clécio.

Na ocasião, o vereador Jorge Kajuru (PRP) chegou a dizer que iria interpelar Iris na Justiça e reiterou que o líder emedebista deve apontar nomes e provar as denúncias feitas à imprensa.

Deixe um comentário