Investimentos em políticas sociais chegam a 1,3 bilhões em Goiás

Projetos liderados pela primeira-dama, Gracinha Caiado, são destaques no estado. Organização das Voluntárias de Goiás e Gabinete de políticas sociais atuam juntos

OVG fez entrega de cestas básicas no Estado | Foto: reprodução

Os investimentos do Estado em políticas sociais chegaram a R$ 1,3 bilhão. Segundo dados divulgados pelo governo, os valores beneficiam programas que visam auxiliar pessoas em situação de vulnerabilidade no estado. A Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) em conjunto com Gabinete de Políticas Sociais (GPS), coordenado pela primeira-dama, Gracinha Caiado, foi responsável por realizar a conexão e a construção da rede de projetos nos municípios goianos.

Os projetos são variados e beneficiam vastos públicos. A inciativa Mães de Goiás garante um auxílio mensal de R$ 250 para 100 mil mães em todo o Estado. Já o “Programa Aprendiz” emprega 5 mil adolescentes e oferece bolsa mensal de R$ 516, com direito a 13° salário, dentre outros benefícios.

As iniciativas também elaboram projetos voltados para área dos direitos humanos e previu medidas como a sanção do Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra a Mulher e a criação da Rede Estadual Pelo Fim da Violência Contra a Mulher e do Batalhão Maria da Penha da Polícia Militar de Goiás, já efetivadas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds)

Veja alguns projetos do governo:

– distribuição de mais de um milhão de cestas básicas pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG);

– repasse de R$ 33 milhões diretamente às prefeituras;

– quitação de dívidas de Bolsas Universitárias;

– 10 mil estudantes beneficiados com Bolsa Universitária;

– Programa Mães de Goiás com auxílio mensal de R$ 250 para 100 mil mães em todo o Estado;

– viabilização de R$ 20 milhões para auxiliar a recuperação econômica do Estado;

– programa de Dignidade Menstrual, destinado a atender 146 mil mulheres;

– Água Social, implementado para subsidiar até 80% da fatura de água de famílias vulneráveis, com propósito de atender 128 mil pessoas; e

– Programa Pra ter Onde Morar, aluguel social, com abrangência a 30 mil famílias que recebem R$ 350 por mês para pagar locação de imóvel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.