Prefeito afirma que região Central de Goiânia não irá mais receber as obras

Obra parada do BRT. Foto: Divulgação

Em coletiva na manhã desta quinta-feira, 27, o prefeito Iris Rezende (MDB) se mostrou crítico à obra do Bus Rapid Transit (BRT), mas se comprometeu a finalizá-la e fazer adaptações. Entre elas, a retirada da região Central da planta.

Paralisada por mais de uma vez desde o seu início, a obra do BRT tem previsão de término para 2020. A Prefeitura de Goiânia prioriza concluir o trecho que liga a rodoviária ao Recanto do Bosque e, em 2019, iniciar o trecho entre a rodoviária e o Terminal Isidória.

Iris disse que as paralisações são devido a dívida herdada da gestão passada. “Quando eu assumi, em 2017, essa obra estava parada há mais de 6 meses por falta de pagamento da contrapartida da Prefeitura e eu fui lá e paguei”, disse.

Ele também avaliou que esse projeto teve uma elaboração precipitada em relação à sua dimensão e custo. “Investimento grande em uma região que não vai crescer”, afirmou, referindo-se a um dos pontos do BRT, que chega a bairros próximos ao Rio Meia Ponte.

“Ele para no fim da Cidade, onde a população não vai aumentar e será praticamente a mesma para uma obra que foi feita para atender dez vezes mais pessoas do que as que residem naquela região”, criticou.

Com isso, Iris se comprometeu a terminar as obras, mas pretende desafetar áreas que estavam, inicialmente, previstas para receber o corredor. A primeira medida é, segundo ele, paralisar o trecho da avenida Goiás à Praça Cívica.

“Eu entendi que meter um cimento desse na avenida Goiás é violentar a coluna vertebral do corpo de Nossa Senhora”, explicou. O Prefeito ainda disse que está conversando com a Caixa Econômica para viabilizar a medida.

Além disso, Iris disse que acha desnecessário ligar Aparecida de Goiânia à região Norte da Capital, porque considera que ninguém faz esse trecho. “Portanto vamos concluir somente até a Praça da Estação Rodoviária”, anunciou.

O Prefeito também garantiu que irá fazer um segundo trecho entre o Terminal Isidória e o Terminal do Cruzeiro, em Aparecida, apesar de cancelar as obras no centro de Goiânia. “Lá tem doação do Governo Federal e aqui não tem”, explicou. Essa parte da obra tem previsão para ser finalizada em 2020.