Investimento em empreendedores goianos ultrapassará R$ 2,5 bilhões, diz secretário

Cerca de 450 empresários no Estado poderão obter até R$ 100 mil de financiamentos com uma das menores taxas do mercado brasileiro

Secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Costa, ao lado do governador Ronaldo Caiado. Foto: Reproduão.

Durante solenidade que marcou a liberação de mais de R$ 21 milhões para o Estado nesta terça-feira, 1°, o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Costa, projetou que investimentos da União voltados aos empreendedores goianos ultrapassará a marca de R$ 2,5 bilhões.

“Goiás representa o novo Brasil que cresce, sonha, luta e olha mais para frente do que para trás” disse secretário.

Os financiamentos são do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), via Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento). A previsão é atender cerca de 450 empresários no Estado, que poderão obter até R$ 100 mil de financiamentos com uma das menores taxas do mercado brasileiro.

Na ocasião, o governador Ronaldo Caiado (DEM) respondeu: “Se nós temos um novo normal, nós temos um novo Brasil. E esse novo Brasil, vossa excelência acaba de diagnosticar que é Goiás que dá o pontapé inicial para ele”. “Tenho certeza absoluta que nós não vamos decepcioná-lo”, disse ao secretário.

Ao lado da primeira-dama e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais, Gracinha Caiado, o governador destacou ainda que se trata de mais uma iniciativa para movimentar a economia nesse período pós-pandemia e incentivar o empresariado goiano, especialmente aqueles que mais precisam.

“[O crédito] é fundamental para continuar a proteger e não deixar com que as pessoas que são capazes de movimentar essa máquina se decepcionem ou que sejam excluídas da oportunidade do trabalho”, disse o governador. Para ele, o programa do Governo Federal tem um formato inteligente, que consegue driblar a burocracia e garantir que o dinheiro chegue rapidamente ao bolso dos empreendedores, gerando emprego e renda.

Carlos Alexandre informou que Goiás, por ser promissor, foi um dos Estados escolhidos para lançamento da segunda etapa do Pronampe, ao lado de Minas Gerais.

O secretário nacional lembrou ainda que o Estado já desembolsou R$ 700 milhões na primeira etapa do Pronampe, e mais R$ 900 milhões via Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Preac/FGI).

Setor público, setor privado e terceiro setor

Ainda durante a solenidade, o governador Ronaldo Caiado afirmou que a parceria com o Governo Federal é muito importante, desde áreas como infraestrutura, saúde e educação até o desenvolvimento social e a economia, como é o caso do Pronampe.

“Estamos juntos nessa luta e reconhecemos o quanto foi importante as ações do Ministério da Economia, como também do presidente da República, [Jair Bolsonaro]”, declarou. Também acenou a outros parceiros, como a Caixa Econômica Federal e o Sebrae. “Tudo isso dentro de uma política de dar ao povo goiano a oportunidade de crescer”.

O diretor-superintendente do Sebrae em Goiás, Derly Cunha Fialho, disse que os micro e pequenos empresários que são os principais geradores de emprego no Brasil. Ele também chamou a atenção para a união de esforços. “Acreditamos que, para que haja desenvolvimento, setor público, setor privado e terceiro setor precisam caminhar de mãos dadas. É impossível pensar que um único setor é capaz de dar conta de tudo.”

Pronampe

O Pronampe foi instituído pela Lei 13.999, de 18 de maio de 2020, e é destinado ao desenvolvimento e ao fortalecimento dos pequenos negócios, em meio à pandemia do novo coronavírus. A iniciativa é operacionalizada por instituições financeiras públicas e privadas e já concedeu, numa primeira etapa, R$ 18,7 bilhões a micro e pequenos empresários em todo Brasil.

Neste mês, o programa foi ampliado, com o aporte de R$ 12 bilhões. É desse montante que, inicialmente, R$ 21 milhões foram destinados para a operacionalização da GoiásFomento. A linha de crédito é concedida com juros da taxa Selic e mais 1,25% ano, e prazo para pagamento de até 36 meses com oito meses de carência.

Cada empresa ou empresário poderá obter até R$ 100 mil, limitado a 30% do faturamento da empresa nos últimos 12 meses ou 50% do capital social, no caso das empresas com menos de um ano de funcionamento. O recurso poderá ser usado para investimentos e capital de giro, como o pagamento de salário, água, luz, aluguel, reposição de estoque e aquisição de máquinas e equipamentos.

O recurso atenderá os empresários que não conseguiram obter financiamento no âmbito do Pronampe nos bancos de varejo, já que via GoiásFomento, o crédito é facilitado. Após a liberação do recurso, os beneficiados terão consultoria para renegociar suas dívidas e limpar os nomes das empresas nos sistemas de proteção ao crédito para facilitar o acesso ao crédito. O trabalho será feito por meio da Secretaria da Retomada e do Sebrae.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.