Internauta pede ajuda a homem em situação de rua na capital

De acordo com publicação, homem está há cerca de um mês no setor Urias Magalhães, vive em condições degradantes e aparenta ter transtornos psicológicos

Homem não aceita comida e se alimenta do lixo | Foto: Reprodução / Facebook

Homem não aceita comida e se alimenta do lixo | Foto: Reprodução / Facebook

Um post no Facebook feito na última sexta-feira (18/11) traz uma denúncia sobre uma situação degradante em que se encontra um homem em Goiânia. De acordo com a publicação, o homem, que vive em situação de rua, está há cerca de um mês no Setor Urias Magalhães, se alimentando de lixo e bebendo água da enxurrada.

“Ao tentar conversar pra oferecer água e comida, percebemos que ele possui algum transtorno mental grave pois murmura coisas sem sentido o tempo todo, conversa sozinho e está completamente fora da realidade”, diz o post. Também foi oferecido dinheiro, porém o homem rasga as notas. A comida que é oferecida fica intocada e ele também não aceita as roupas que foram entregues.

Vários órgãos, entidades e instituições que poderiam ajudar de alguma forma teriam sido contatados, mas ninguém estaria disposto a ajudar. “Fomos informadas que para realização de um tratamento psicológico o senhor deveria consentir ou então algum membro da família deveria autorizar”. A questão, aponta a jovem que fez o texto, é que o homem dificilmente informará sobre a existência de algum familiar, nem tem condições de consentir com um tratamento.

Nos comentários, pessoas disseram que esse mesmo homem já foi visto vagando em outros setores da capital — Negrão de Lima e Vila Maria Dilce — e sempre da mesma forma, negando ajuda e continuando a comer lixo. Uma outra jovem, também moradora do Urias Magalhães, afirmou que ele atravessa ruas “do nada” e que pode acabar sendo atropelado.

A reportagem procurou a prefeitura para comentar o caso, mas até o fechamento da matéria não foi atendida.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.