Índice para o mês de agosto surpreendeu, mas, no acumulado do ano, IPC ainda é quase o dobro do registrado no último ano

A inflação de Goiânia recuou 0,06% no mês de agosto, conforme pesquisa divulgada nesta quarta-feira (9/9) pela Gerência de Pesquisas Sistemáticas e Especiais do Instituto Mauro Borges (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan). O índice para o período surpreende, já que é o mais baixo registrado na capital desde 2009, quando fechou em 0,20%.

Alimentação, habitação, despesas pessoais e vestuário foram os grupos que mais contribuíram para a queda da inflação. Na primeira categoria, a batata inglesa (-18,68%), alface (-12,53%), tomate (-11,17%), banana prata (-9,87%) e o feijão carioca (-6,15%) encabeçam a lista de alimentos que tiveram valores reduzidos.

Mesmo com o resultado, no acumulado do ano, o Índice de Preços do Consumidor (IPC) chegou a 8,97%, praticamente o dobro do mesmo período de 2014, que era de 4,74%. Segundo dados fornecidos pela Segplan, dos 205 produtos/serviços pesquisados mensalmente pela Gerência de Pesquisas Sistemáticas e Especiais, 101 apresentaram elevação, 40 ficaram estáveis e 64 tiveram variação negativa, em agosto.

A queda dos preços dos alimentos fez com que o custo da cesta básica para uma pessoa também caísse 1,51%, em agosto, na comparação com julho. Para adquirir os 12 itens da cesta básica o goianiense gastou R$ 287,65. No ano, o custo da cesta já subiu 7,29% e em 12 meses acumula alta de 15,88%.