Inep libera consulta das notas do Enem 2016

Ministério da Educação deve divulgar ainda nesta quarta (18) as datas do Sisu e uma consulta pública para futuras alterações do exame

O Ministério da Educação liberou no fim da manhã desta quarta-feira (18/1) as notas do Enem 2016 para consulta através do site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas (Inep).

Os candidatos podem acessar as notas de cada uma das quatro provas – ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática – e da redação, que teve como tema a intolerância religiosa no Brasil. Para consultá-las, o candidato deve fazer login no site do Enem com dados pessoais e senha. Quem perdeu a senha, pode resgatá-la no botão ‘esqueci minha senha.’

Em 2016, cerca de 6 milhões de candidatos fizeram a prova. No Sisu deste ano, as instituições de ensino superior terão possibilidade de alterar pesos e notas mínimas do Enem ao selecionarem seus alunos.

Além das notas dos estudantes, também devem ser divulgadas nesta quarta-feira (18/1) as datas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e lançará consulta pública sobre a prova, em coletiva que será concedida pelo titular do MEC, Mendonça Filho.

Teoria da Resposta ao Item

A correção do Enem é feita com base na metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada item. O valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, um item que teve grande número de acertos será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar uma questão com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por aquele item.

As notas da prova podem ser usadas para pleitear vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), bolsas no ensino superior privado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, os candidatos com mais de 18 anos podem usar o Enem para receber a certificação do ensino médio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.