Indicadores de criminalidade de Goiás apresentam queda em janeiro

Queda ocorreu nas 12 modalidades de crime monitoradas; titular da SSPAP, Edson Costa destaca integração das forças policiais

Apresentação do relatório de ocorrências de janeiro | Foto: Jota Eurípedes

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) apresentou, nesta sexta-feira (3/2), o relatório de ocorrências do mês de janeiro deste ano em Goiás. São monitoradas 12 modalidades de crime e todos os indicadores apresentaram queda na comparação com o mesmo período do ano passado.

No Estado, os homicídios regrediram 21,2%, enquanto estupros caíram 29,6%. As tentativas de homicídios baixaram em 33,3%, ao passo que os latrocínios despencaram 52,9%. De acordo com os dados, houve queda, ainda, em todas as modalidades de furtos e roubos. Roubos de veículos caíram 39,3%, roubos em comércios 40,3%, roubos em residências 41,7% e roubos a transeuntes 23,6%. Os furtos de veículos diminuíram 32%, e os furtos em comércios 20,3%. Furtos em residências e a transeuntes retrocederam 2% e 19,8%, respectivamente.

Segundo o titular da SSPAP, a redução das taxas de crimes de alta periculosidade aos esforços das forças policiais, com ações planejadas e integradas. Ele destacou o plano estratégico do vice-governador José Eliton (PSDB), que comandou a pasta em 2016. “Ele inaugurou uma nova maneira de planejar e executar as ações de segurança pública, com foco na integração das forças policiais e nos serviços de inteligência de cada corporação para uma maior efetividade no planejamento e na operacionalização da segurança na capital e no interior”.

A política de integração proposta por Eliton extrapolou os limites do estado e agregou várias unidades da federação no Pacto Integrador de Segurança Interestadual, com vistas ao combate do crime organizado para o tráfico de drogas e armas, roubo de carros e cargas e os assaltos a instituições financeiras. O Pacto levou para o âmbito nacional o debate de questões cruciais da segurança, como a reformulação do sistema penitenciário, mudanças nas leis penais e processuais penais, e a criação de um ministério próprio para a segurança pública e administração penitenciária.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, ressaltou que a corporação intensificou o policiamento no Estado. Já o o diretor geral da Polícia Civil, delegado Álvaro Cássio, lembrou que a entidade atua de uma forma cada vez mais incisiva e citou diversas operações em curso.

Redução de criminalidade nas cidades

Na capital, os homicídios caíram 50% e as tentativas de homicídio tiveram baixa de 53,9%. Os roubos de veículos caíram 52,3%, roubos em residências (-46,1%), roubos a transeuntes (-25,2%). Os furtos de veículos lideraram a queda nessa categoria com declínio, de 46,7%. Em seguida, aparecem furtos em comércio (-27,3%), transeuntes (-20,2%) e furtos em residências (-20,2%).  Estupros e latrocínios mantiveram-se estáveis na capital.

Já em Aparecida de Goiânia, houve uma redução de 75% dos estupros — crime que preocupava as autoridades por ser o único que se mantinha estável. Na comparação entre os meses de janeiro de 2017 e 2016, os homicídios recuaram 29,7% na cidade, enquanto as tentativas de homicídios cederam em 38,9%. Os roubos a transeuntes assim como os roubos de veículos apresentaram declínio de 34%.

Em Anápolis além dos homicídios — que reduziram 7,1% — outros oito tipos de crimes apresentaram altos índices de queda. Os latrocínios caíram 100%, ou seja, não houve ocorrências no período. Roubos a transeuntes (-32,8%), roubos de veículos (-27%), roubos em comércios (-67,7%), roubos a residências (-71,4%), furtos de veículos (-52,7%), e furtos a transeuntes (-41,2%). Apresentaram alta as tentativas de homicídio (8,33%), furtos em comércios (3,7%) e furtos a residências (77.9%).

O Entorno do Distrito Federal apresentou uma redução em nove modalidades: estupros (-33,3%), tentativas de homicídio (38,6%), furtos de veículos (-19,2%), furtos de veículos (-25,8%) e furtos a transeuntes (-41,3%) e em todas as naturezas de roubos — a residência (-49,5%), de veículo (-42,9%), em comércio (-38,5%) e a transeunte (-41,3%) .

Edson Costa adiantou que durante todo o ano serão realizadas, nos 20 municípios que concentram 89,75% de toda incidência de homicídios, tentativas de homicídios, latrocínio, roubos e estupro no Estado, ações específicas para reduzir os crimes. “Existe planejamento para a realização de ações integradas entre as forças de segurança pública com o intuito de reduzir, ainda mais, os indicadores de criminalidade”, concluiu.

Estiveram presentes na apresentação do relatório, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, o diretor geral da Polícia Civil, delegado Álvaro Cássio, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbingen Júnior, o superintendente executivo de Administração Penitenciária, Coronel Victor Dragalzew, a superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, o superintendente de Inteligência Integrada, Danilo Fabiano e o superintendente de Ações e Operações Integradas, Emanuel Henrique. (Com informações da SSPAP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.