Indefinição de alianças causa confusão e mal estar entre lideranças na convenção do PP

Mesmo em cima do prazo, partido fez mistério e não revelou se fecha mesmo com o emedebista Daniel Vilela

Foto: Nathan Sampaio

Com mais de uma hora de atraso, os líderes do PP chegaram na convenção da sigla, marcada para a manhã deste domingo (5/8), sem bater o martelo quanto à definição de alianças para a eleição deste ano. Mesmo em cima do prazo, o partido fez mistério e não revelou se fecha mesmo com o emedebista Daniel Vilela, conforme vem sendo especulado.

A indefinição causou mal estar entre a militância e entre os próprios líderes da legenda. Presente no encontro, o deputado federal Roberto Balestra chegou a interromper o evento, que já estava no fim e deveria ter sido concluído com a fala do presidente do PP em Goiás, Alexandre Baldy.

Balestra integra grupo pepista que quer seguir com a base governista. Com o microfone na mão, o parlamentar pediu que uma decisão fosse tomada de imediato.

“Não quero que meus companheiros tenham o desfecho que tiveram na última convenção. Eu acho que nós somos bastante maduros, o ministro sabe disso: político se faz com os companheiros”, discursou o deputado, sob os gritos da militância da legenda.

Diante da confusão, filiados ao PP pediram que a convenção fosse suspensa. A maioria concordava com Balestra sobre permanecer na base, enquanto outros pediam maior diálogo.

Com os ânimos exaltados, a convenção teve fim sem qualquer definição. Uma reunião foi marcada por Balestra ainda para este domingo. Em entrevista após o evento, Baldy manteve o tom misterioso e não falou sobre a aliança. A reportagem apurou que anúncio da definição pode ficar somente para esta segunda-feira (5).

Deixe um comentário