Incêndio na Chapada dura sete dias e já consumiu 14 mil hectares de mata

Equipes do Corpo de Bombeiros traçam estratégias para combater queimadas. Segundo coordenador da força-tarefa, há dois focos principais neste sábado (18)

O incêndio na Chapada dos Veadeiros completa, neste sábado, 18, sete dias. Com 14 mil hectares de mata queimada, as equipes do Corpo de Bombeiros (CBMGO) contam com ajuda do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para controlar o fogo. O trabalho no final de semana começou direcionado para dois focos principais: um localizado ao sul do parque e outra, na região dos cristais.

A expectativa do capitão do CBMGO Luiz Antônio Dias Araújo é controlar as duas frentes de incêndio. “Definimos a estratégia de combatê-las com força total. A primeira está localizada às margens do Rio dos Couros e do Rio Tocantizinho. Estávamos com uma equipe de três bombeiros, combatemos a noite toda. Permaneceremos durante o dia na expectativa de ancorar e encerrar esse incêndio localizado ao sul do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros”, estimou o coordenador da força-tarefa.

Outro ponto a ser combatido, segundo o capitão Luiz Antônio Dias Araújo, está localizado na região dos cristais. O coordenador informou que além das equipes de bombeiros e do ICMBio, brigadistas voluntários de Alto Paraíso, Cavalcanti e São Jorge auxiliam no combate ao incêndio. “Estamos com ataques aéreos, que são lançamentos de água pelos aviões do ICMBIO. A expectativa é que, no sobrevoo de meio-dia e no avançar do período vespertino, tenhamos novidades boas, que possam nos trazer um acalento sobre a situação dos incêndios na chapada”, pontuou o capitão do CBMGO.

Depois do período mencionado pelo coordenador da força-tarefa, novas estratégias serão traçadas. O monitoramento é feito por toda a região.

O incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros começou no último domingo (12). Desde então, as equipes se tentam controlar o fogo, que já consumiu 14 hectares de mata na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.