Ibope pode pagar multa de até R$ 100 mil por irregularidade em pesquisa

Instituto contratado pela TV Anhanguera fez levantamento fora do prazo informado oficialmente ao Tribunal Superior Eleitoral

ibope

Para Ibope, não há irregularidade: é de praxe registrar um período estimado. Resolução do TSE, no entanto, diz o contrário | Foto: Reprodução TV Anhanguera

Envolto em polêmica desde o primeiro turno, quando errou as projeções mesmo considerando uma margem de erro de 4 pontos percentuais, o Instituto Ibope, contratado pela TV Anhanguera para apontar o cenário da disputa em Goiânia, divulgou nesta quinta-feira (20/10) uma controversa pesquisa.

Segundo o Ibope, o candidato do PMDB, Iris Rezende, teria 48% das intenções de voto, contra 35% de Vanderlan Cardoso (PSB), uma diferença de 13 pontos percentuais. Considerando apenas os votos válidos, a vantagem de Iris cresceria para 16 pontos: ele com 58% e Vanderlan com 42%. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de quatro pontos porcentuais para mais ou para menos.

No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), contudo, o registro oficial da pesquisa contesta informações divulgadas pela emissora. Nele, a informação que é de que o levantamento, de protocolo GO-09624/2016, foi iniciado em 12 de outubro e concluído em 18 do mesmo mês, a partir de quando seria divulgado.

Entretanto, segundo o que foi informado pela TV Anhanguera e pelo jornal O Popular, o levantamento foi feito entre 18 e 20 de outubro – quando já deveria ter sido concluído – e divulgado dois dias depois.

Procurado pelo Jornal Opção, o Ibope informou que não há irregularidades na divergência de dados. Segundo o instituto, as pesquisas são registradas antes de serem feitas e o período que consta no portal do TSE é o estimado, e não necessariamente o real.

A Resolução nº 23.453/2015, do TSE, afirma o contrário. De acordo com o disposto no artigo 2º, inciso III, a empresa responsável pelo estudo precisa informar a metodologia e o período de realização da pesquisa. Caso não cumpra o estabelecido, pode ser multada em valores que variam de R$ 53 a R$ 106 mil. No sistema do tribunal, não consta qualquer alteração no período determinado inicialmente.

Pesquisas em Goiânia

Na véspera da votação do primeiro turno, o instituto Ibope deu Iris na frente com 45% das intenções de voto e Vanderlan com 27%. Após a apuração, no entanto, a vantagem foi menor: o peemedebista atingiu 40,47% enquanto Vanderlan conseguiu 31,84%, diferença de 8,63 pontos percentuais.

Depois da eleição, em resposta ao Jornal Opção, que questionou a empresa sobre a divergência entre sua previsão e o resultado das urnas, o instituto afirmou que as pesquisas não têm intenção de prever o futuro e negou que tenha errado. Para eles, o importante é que o levantamento já “sinalizava, naquele momento, um segundo turno entre Iris Rezende e Vanderlan”.

Um outro levantamento, feito pelo Paraná Pesquisas e divulgado nesta sexta-feita (21), mostra uma diferença de dez pontos para o apresentado pelo Ibope. Segundo esta pesquisa, a diferença não é de 16 pontos percentuais, mas sim de 6,6%: Na estimulada, Iris soma 46,5% das intenções e Vanderlan, 39,9%. O resultado é semelhante na espontânea, em que a diferença foi de 7,4%, apontando 38,4% para o peemedebista e 31%.

A pesquisa do Paraná Pesquisa ouviu 820 eleitores entre os dias 16 e 20 de outubro e está registrada sob o número GO-07182/2016 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.