Humberto Aidar critica filiação de Henrique Meirelles ao PSD e diz que políticos estão querendo ser bancados

“Vejo com tristeza nossos representantes pedindo a volta do milagreiro porque estão precisando de ajuda. É triste, mas essa é a nossa política do pequi”, disse o deputado

Durante sessão ordinária desta terça-feira, 23, na Assembleia Legislativa de Goiás, o deputado Humberto Aidar (MDB) utilizou a tribuna para criticar a recém filiação de atual secretário da Fazenda de São Paulo e ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles ao PSD. O ato de filiação aconteceu na casa do presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, com a presença dos goianos Vanderlan Cardoso, Francisco Junior e Samuel Almeida.

Humberto Aidar afirmou, durante seu discurso, que agentes públicos do estado de Goiás foram à  São Paulo para pedir que ele [Henrique Meirelles] se filie ao PSD e seja candidato a senador ou a governador de Goiás, “certamente aguardando serem convencidos mais uma vez […] imaginado que serão literalmente bancados pelo banqueiro Meirelles. Vejo com tristeza nossos representantes pedindo a volta do milagreiro porque estão precisando de ajuda. É triste, mas essa é a nossa política do pequi”, opinou.

Na ocasião, o deputado relembrou a trajetória de Meirelles e ironizou sobre a eleição de 2002, quando na época foi eleito deputado federal pelo PSDB, tendo recebido o maior número de votos em Goiás e não exerceu mandato porque assumiu o Banco Central, em Brasília.

“Infelizmente, a política produz essas figuras. Mesmo sem ninguém conhece-lo teve mais de 180 mil votos. O poder de convencimento do milagreiro era tão forte que as lideranças políticas começaram a apaixonar. Dizem as más línguas que ele tinha dois assessores o seu Manoel Dólar e José  Real, eu até penso que isso é maldade”, disse Humberto Aidar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.