Hospital privado de Goiânia é interditado e não pode mais aceitar internações

Adonai, antigo Lúcio Rebelo, foi alvo de interdição ética pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás

Divulgação

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) interditou, no início desta semana, o Hospital Adonai, antigo Hospital Lúcio Rebelo, localizado no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia. A instituição é privada e a interdição ética aconteceu após vistorias do conselho, que constataram deficiências na estrutura física, falta de materiais e de medicamentos na unidade.

Com a interdição ética, os médicos ficam impedidos de trabalhar no hospital e novas internações passam a ser suspensas. Pacientes internados continuarão sendo atendidos até a alta médica.

Em nota, o órgão informou que representantes da diretoria do hospital se reuniram na última segunda-feira (5/6) com o presidente do Cremego, Leonardo Mariano Reis. Eles alegaram que a maior parte das deficiências encontradas pela fiscalização do conselho já havia sido sanada e propuseram a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a definição de prazos para a correção das não-conformidades pendentes. Ainda não há um posicionamento oficial das partes sobre o acordo.

O Jornal Opção entrou em contato com a diretoria do Hospital Adonai no início da manhã desta terça-feira (5/6) e ainda aguarda que a empresa se posicione.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.