Hospital de Anápolis terá que indenizar filho depois de trocar cadáver da mãe

Corpo foi mandado por engano para o município de Itapaci

A Justiça determinou que o Hospital Evangélico Goiano, localizado na cidade de Anápolis, indenize Walter Gomes Veloso por danos morais, no valor de R$ 30 mil, depois que o cadáver da mão foi trocado na unidade de saúde.

A mãe de Walter, Henriqueta Veloso, morreu na madrugada do dia 9 de abril de 2014 e a família pretendia enterrá-la às 7 horas da manhã do mesmo dia. No entanto, ao meio dia o corpo da mulher ainda não havia sido liberado.

Horas depois, a família descobriu que o corpo de Henriqueta havia sido trocado pelo de outra mulher, Firmina Basílio, que também morreu no hospital, e transferido para o município de Itapaci, onde Firmina seria enterrada.

No regresso do corpo para Anápolis, a família ainda se sentiu profundamente ofendida pelo fato da mulher estar completamente descoberta, o que entenderam como mais um descuido do hospital.

Por motivos de constrangimento moral, o filho de Henriqueta, Walter, ajuizou ação contra a unidade de saúde por meio de pedido indenizatório no valor de R$ 1 milhão. O juiz Eduardo Walmory entendeu que a quantia solicitada pelo familiar não condiz “com os parâmetros adotados em casos similares e aos critérios de razoabilidade e proporcionalidade”.

Entretanto, visando punir a negligência do hospital, o magistrado deferiu que a unidade deve indenizar o filho em R$ 30 mil. O juiz ainda explica que “o erro de troca de cadáveres é gravíssimo, afinal ofende a dignidade humana de toda a família num momento de tristeza e angústia”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.