Hospital de Águas Lindas tem menos de 50% ocupação de leitos

No entanto, crescimento no número de casos deve aumentar demanda por leitos na próxima semana

O secretário municipal de Saúde, Eduardo Rangel, falou ao Jornal Opção sobre o atendimento a pacientes com Covid-19 no hospital de campanha de Águas Lindas. Segundo ele, o momento é de preocupação já que a curva de contágio está crescendo e deve aumentar na próxima semana.

“Temos um número alto de casos no município porque aumentamos a nossa capacidade diagnóstica. Ao diminuir a subnotificação, conseguimos levantar dados que nos ajudam a traçar estratégias para o enfrentamento à pandemia”, explica Eduardo Rangel.

Para o secretário, espera-se que a próxima semana seja ainda mais crítica. “Vamos começar uma testagem em massa, a partir de quarta-feira, com uma plataforma de cadastro para testagem e isso será refletido no número de casos”, aponta, ao enfatizar que a demanda por leitos no hospital de campanha também deve aumentar.

Rangel explica que a unidade de campanha foi construída pelo governo federal e inaugurada no dia 5 de junho, mas recebeu o primeiro paciente somente no dia último dia 14, após a unidade passar por limpeza e desinfecção para garantir a segurança dos funcionários e pacientes e receber insumos.

Capacidade de atendimento

De acordo com o secretário, essa dificuldade inicial foi suprida e atualmente são ofertados 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) equipados com respiradores, e 40 leitos clínicos. No entanto, a unidade tem capacidade para dobrar a oferta de UTIs chegando a 40 leitos, e receber mais 120 leitos clínicos.  

“Com a instalação do hospital de campanha passamos a ter certa tranquilidade, principalmente em relação ao perfil de internação clínica. A demanda está aumentando aos poucos, mas hoje temos mais de 50% dos leitos vagos”, relata o secretário.

Rangel esclarece, no entanto, que é preciso lembrar que o hospital não é uma unidade de pronto-socorro. Para que o paciente seja encaminhado ao hospital de Águas Lindas é preciso que ele seja atendido em Cais ou UPAs e o caso seja regulado e encaminhado pela Central de Regulação da Secretaria estadual de Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) emitiu uma nota sobre a expansão no número de leitos na unidade de campanha. Leia na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informa que um Acordo de Cooperação Técnica assinado entre o Estado e o Ministério da Saúde definiu as responsabilidades de cada ente para funcionamento do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás. Desde o início, o local foi planejado para abrigar 200 leitos de internação, todos com rede de gás instalada, o que permite, diante da necessidade, que sejam convertidos em UTIs.

O HCamp iniciou as atividades com uma capacidade de 190 enfermarias e 10 UTIs, ou seja, com 10 ventiladores pulmonares. Outros 10 ventiladores já estão sendo montados no local. Conforme planejamento inicial, a unidade deve abrigar 40 leitos de UTI, ativados gradativamente. Entretanto, de acordo com a demanda, esse número pode ser ampliado devido a capacidade física e estrutura da rede de gases do hospital.

Desde a última semana os pacientes já poderiam ser encaminhados, via regulação, para internação no Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, de acordo com a demanda, disponibilidade de vagas em outras unidades e perfil clínico de cada caso. Nesta quarta-feira, 17, há onze (11) pacientes internados na unidade. Todos em enfermaria.

O local atende casos suspeitos e confirmados de Covid-19 encaminhados, via Regulação Estadual, por outras unidades de saúde, como UPAs, postos de saúde e hospitais municipais, por exemplo.​

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.