Hospital das Clínicas de Goiânia recebe os primeiros pacientes vindos de Manaus

Os 14 pacientes chegaram no início desta noite e já estão internados em UTI ou enfermarias do HC-UFG. Ainda não há previsão do horário de chegada dos demais

Os 14 pacientes vindos de Manaus chegam no Hospital das Clínicas | Foto: Divulgação

O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFG/EBSERH) recebeu no início da noite, os 14 primeiros pacientes de Manaus (AM). Devido o atraso, eles chegaram em Goiás por volta das 18 horas e foram encaminhados para unidade de saúde. Eles não puderam ser filmados ou fotografados para preservar a intimidade dos pacientes.

Em entrevista coletiva, o superintendente do HC-UFG/EBSERH, José Garcia Neto, disse que são oito homens e seis mulheres. A iniciativa de receber os pacientes foi uma ação dos hospitais universitários do País.

Assim que chegaram ao HC-UFG, os pacientes foram encaminhados para leitos de UTI, onde foram avaliados e monitorados durante algumas horas pelos profissionais de saúde da unidade para avaliar as condições respiratórias e dialíticas. A coletiva ocorreu após a avaliação médica que constatou que seis dos pacientes estão com instabilidade respiratória e continuam na UTI, enquanto os outros foram encaminhados para enfermaria. Todos eles estão em uma ala isolada.

De acordo com o superintendente do HC-UFG, antes da chegada dos pacientes vindos de Manaus, o hospital estava com 50% das UTI’s ocupadas. Esses seis novos que chegaram na UTI não alteram muito a configuração da ocupação.

Pelo menos 80 profissionais temporários da área assistencial foram recrutados para atuarem no HC-UFG, na linha de frente no tratamento dos amazonenses. Estes profissionais receberam todo treinamento necessário para a assistência integral aos pacientes de Manaus.

José Garcia Neto garantiu que todos os cuidados estão sendo tomados que esta cepa do Amazonas não vai se espalhar em Goiás via HC. “Será completamente vencida pelo paciente dentro do hospital ou se evoluir de uma forma ruim, vai com o paciente”. Quanto ao retorno dos pacientes recuperados, ele disse que isso será definido pelo governo federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.