Hospitais podem ter tempo máximo de espera estipulado em Goiânia

Projeto do vereador Zander Fábio (Patriotas) determina que usuários aguardem, em dias normais, 30 minutos para serem atendidos

Sala de espera de consultórios, de um plano de Saúde no Jardim América, lotada | Foto: Nathan Sampaio

Devido ao “grande número de reclamações feitas por cidadãos que usam sistema particular de saúde”, o vereador Zander Fábio (Patriota) apresentou nesta quinta-feira (14/6) um projeto de lei que estipula o tempo máximo de espera para atendimento nestes estabelecimentos, que contemplam hospitais, clínicas e laboratórios da iniciativa privada estabelecidos em Goiânia.

De acordo com o projeto, o tempo de espera do atendimento será de, no máximo, trinta minutos, em dias normais, incluindo sábados e domingos. No caso de véspera de feriados e nos dias subsequentes a eles o tempo de espera será de 45 minutos.

O vereador justifica o projeto com base nas diversas reclamações que recebe em função da demora no atendimento pelos estabelecimentos. “É um grande descaso com o consumidor. Infelizmente, nenhum desses estabelecimentos toma uma atitude para solucionar o problema”, diz.

É o caso da secretária Isadora Pedroso, que paga por um plano de saúde que possui consultórios e laboratórios no Jardim América. Ela diz que, em menos de um ano da aderência do plano, já pensa em desistir de continuar sendo usuária.

“As poucas vezes que precisei de atendimento para situações simples como uma consulta à um dermatologista ou oftalmologista passei a maior parte da tarde aguardando atendimento. Isso porque é por ordem de chegada, precisamos chegar cedo, os médicos chegam atrasados e ainda são muitas pessoas atendidas, ficando impossível ser atendido rápido”, declarou a secretária.

Para Zander Fábio, a Câmara não deve se omitir diante das situações que podem por em risco até mesmo a saúde do cidadão. A proposta do vereador ainda estabelece penas no caso de descumprimento da lei, entre elas, advertência, multa, proibição de propaganda da empresa, cassação da licença sanitária e cancelamento do alvará de funcionamento do estabelecimento.

Deixe um comentário