Horário de verão não gera em economia de energia, diz MME

Ministério de Minas e Energia encomenda estudo que reitera conclusão anteriormente divulgada; de acordo com o governo, medidas adotadas já são suficientes

Horário de verão não gera em economia de energia, diz Ministério de Minas e Energia | Foto: Reprodução

Estudo encomendado pelo Ministério de Energia reforça avaliação anterior sobre o horário de verão não acarretar em “economia significativa de energia”. De acordo com a pasta, as medidas adotadas pelas autoridades do setor de energia já são suficientes para garantir o fornecimento e abastecimento do país.

“Considerando análises técnicas devidamente fundamentadas, o MME entende não haver benefício na aplicação do horário de verão e que as medidas tomadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG) têm se mostrado suficientes para garantir o fornecimento de energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional de energia elétrica (SIN) na transição do período seco para o período úmido”, diz o ministério, em nota.

Isso, porque segundo a pasta, a redução encontrada do horário de maior consumo, que é entre seis horas da tarde e nove horas da noite, é compensada pela maior demanda dos outros períodos do dia. “Pelas prospecções realizadas pelo ONS, não haveria impacto sobre o atendimento da potência, pois o horário de verão não afeta o consumo no período da tarde, quando se observa a maior demanda do dia”, complementa a nota.

Além disso, de acordo com o MME, na avaliação mais recente das condições de atendimento eletroenergético do SIN, realizada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para este mês de outubro, “verifica-se que o sistema se encontra com recursos energéticos suficientes para o adequado atendimento à potência”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.