Homicídios em Goiânia apresentam recuo histórico no mês de setembro

Recuo de 36,59% é o menor da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos

Em Goiânia, os homicídios e as tentativas de homicídios tiveram importantes quedas em setembro, na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas do Observatório de Segurança Pública.

O índice de homicídios na capital apresentou recuo de 36,59%, o menor da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos. Além disso, o número se iguala a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências. As tentativas de homicídios  tiveram queda acentuada (-41,67%).

Todas as categorias de roubos também sofreram forte queda na capital. Em comércios, o índice despencou 51,22%, enquanto que roubos a residências e veículos apresentaram recuo de 44,97% e 44,36%, respectivamente. Apenas os estupros cresceram 40% no mês.

No acumulado do ano, no período de janeiro a setembro de 2017, as doze modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram declínio na capital: homicídios (-11,08%), estupros (-32,2%), tentativas de homicídios (-30,44%), latrocínios (-17,24%), roubos a transeuntes (-25,95%), roubos de veículos (-35,26%), roubos em comércios (-42,06%), roubos em residências (-24,89%), furtos de veículos (-22,95%), furtos em comércios (-25,77%), furtos em residências (-1,01%) e furtos a transeuntes (-21,85%).

Queda geral

Em todo o Estado, todas as 12 naturezas de crimes consideradas de alta prioridade também apresentaram redução no acumulado do ano e no mês. Além da capital, o índice de homicídios recuou em Aparecida de Goiânia (-25%) e no Entorno do Distrito Federal (-31,34%).

Os roubos de veículos cederam em 26,86% e os roubos a comércios diminuíram 33,1%. Os furtos também estão menores quando se comparados com 2016: furto de veículos (-15,82%), furto em comércio (-14,42%), furto em residência (-1,82%) e furto a transeunte (-22,87%).

As modalidades de roubos registraram as quedas mais acentuadas: roubo a transeunte (-34,43%), roubo de veículos (-27,41%), roubo em comércio (-35,53%) e roubo em residência (-33,5%).

Para o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo “ao trabalho heróico e integrado das forças de segurança pública”.

Deixe um comentário