Homem negro é espancado até a morte por segurança e policial dentro do Carrefour, em Porto Alegre

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, teria desferido um soco no segurança do estabelecimento, o que deu início às agressões. Em vídeo que circula nas redes sociais, vítima aparece gritando enquanto recebe socos no rosto e ao fundo, uma pessoa grita “vamos chamar a Brigada (Militar)”

Na noite desta quinta-feira, 19, um homem negro identificado como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto por dois homens brancos em uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Conforme informações, um dos agressores é segurança do local e o outro é um policial militar que estava fazendo compras. A Polícia Civil do Estado investiga o crime.

Em um vídeo que circula pela redes sociais, a vítima aparece gritando enquanto recebe socos no rosto. Ao fundo, uma pessoa grita “vamos chamar a Brigada (Militar)”.

O caso

O delegado Leandro Bodoia, plantonista da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa, afirmou que teria havido um desentendimento entre a vítima e os seguranças. Segundo testemunhas, João Alberto fez “gestos agressivos” dentro do supermercado enquanto passava as compras pelo caixa. “Não foi nada muito grave”, ressaltou o delegado. Então, os seguranças foram chamados e o acompanharam para fora da loja. A esposa da vítima seguiu dentro do estabelecimento finalizando a compra.

Bodoia disse ainda que as câmeras de segurança mostraram o homem desferindo um soco no segurança. Neste momento teriam começado as agressões.

Além do segurança do Carrefour, um policial militar temporário que estaria no local como cliente também participou do crime. Uma ambulância do Samu foi chamada no local e tentou reanimar a vítima, mas ele não resistiu. Os suspeitos foram presos em flagrante.

Posicionamento

O Grupo Carrefour disse que “adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos”. Além disso, afirmou que vai romper o contrato com a empresa responsável pelos seguranças e que o funcionário que estava no comando da loja durante o crime “será desligado”.

O grupo informou também que a loja será fechada em respeito à vítima e que dará o “suporte necessário” à família de João Alberto Silveira Freitas.

Leia a nota na íntegra:

“O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais”.

(Informações do portal Estadão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.