“Hipster da Federal” é afastado do cargo e agentes passarão a usar touca ninja, diz colunista

PF não confirma obrigatoriedade do uso de balaclava. Lucas Valença tem aproveitado a fama para conceder entrevistas a diversos veículos de comunicação

Agente federal participou do programa global Encontro com Fátima Bernardes | Foto: reprodução / Instagram

Agente federal participou do programa global Encontro com Fátima Bernardes | Foto: reprodução / Instagram

Após ficar famoso nas redes sociais e conquistar milhares de novos seguidores em poucas horas, o agente federal que participou da diligência de prisão do ex-deputado Eduardo Cunha na semana passada, Lucas Valença, foi afastado do cargo e teve que tirar férias após a exposição.

Segundo o colunista do O Globo, Ancelmo Gois, a partir de agora os agentes terão que usar balaclavas durante diligências, também conhecidas como toucas ninjas.

Lucas Valença é goiano, tem 30 anos e mora em Brasília. Desde que ficou famoso, na quarta-feira da semana passada (19/10), tem concedido entrevista a diversos veículos de comunicação. Ele participou também dos programas do Fábio Porchat, na Record e do “Encontro com Fátima Bernardes”, na Rede Globo.

A revista Época já havia adiantado que a Polícia Federal abriria um processo contra Lucas, por ele ter concedido entrevista sem autorização da corporação. A publicação também destacou que, anteriormente, ele tinha sido afastado da força de elite da PF por ter utilizado uma lancha sem o aval dos superiores.

A assessoria de imprensa da Polícia Federal não confirma o afastamento de Lucas, tampouco a obrigatoriedade do uso de balaclava por parte dos agentes. A corporação também afirma que, por enquanto, não irá se manifestar sobre o caso.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.