HGG recebe certificação internacional do Centro de Terapia Intensiva

Certificação torna o hospital goiano a primeira unidade pública de saúde do Brasil a conquistar tal título

Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

O governador Ronaldo Caiado e o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, participaram nesta sexta-feira, 16, da solenidade de entrega da certificação internacional do Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG pela Agencia de Calidad Sanitaria de Andalucia (Acsa).

A certificação torna o hospital goiano a primeira unidade pública de saúde do Brasil a conquistar tal título. No evento, Caiado entregou um mamógrafo e uma impressora Dry ao HGG para a realização de exames de mama. Para Ismael, o título se soma à acreditação máxima da Organização Nacional de Acreditação, a ONA 3, e faz a unidade ser motivo de orgulho para o estado de Goiás.

“Temos um nível de excelência em um hospital público e não queremos menos do que isso no Estado. Agora somos o único hospital público do Brasil que detêm essa acreditação. Isso reflete o trabalho de cada um dos profissionais de saúde que trabalham para tornar isso possivel”, destaca o titular da Saúde.

O título internacional foi obtido após o HGG receber a visita de avaliadores do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES/International), responsável no país pelas avaliações de certificação da Acsa, uma das mais renomadas instituições da área na Europa. No Brasil, apenas outras quatro instituições, todas privadas, conquistaram o título da Acsa. Presente na solenidade, Christian Hart, falou em nome do Ibes e destacou que o HGG é motivo de saúde para o país inteiro e para a saúde pública em todo o mundo.

Ismael também rendeu homenagem ao Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), instituição responsável pela administração do hospital, pela responsabilidade e compromisso com a unidade. “Nós depuraremos aqueles instituições que levam a sério daquelas que não levam”, destacou.

Em sua fala, o governador destacou sua busca incessante por resultados no Estado e em especial sobre os esforços na área da saúde. “Durante a entrega desse mamógrafo, de última geração, já falei ao secretário sobre a necessidade de expandir esse atendimento a outras regiões. Esse é o nosso desafio”, pontuou Caiado. “Os desafios são cada vez maiores e queremos que a saúde seja regionalizada, já somos referência aqui na capital”, completou.

Mamógrafo

O novo mamógrafo e a impressora do HGG custaram R$ 928 mil e irão substituir os anteriores, fabricados em 2000, já no fim do ciclo de vida e cujas manutenções não são mais viáveis. O novo mamógrafo irá entrar em operação de imediato, ofertando à rede do SUS aproximadamente 800 exames mensais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.