Hemocentro de Goiânia terá ampliação de 65% da área construída

Reestruturação aumentará a capacidade de coleta e oferecerá maior conforto e praticidade aos colaboradores, doadores e pacientes

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

O governador Ronaldo Caiado (DEM) anunciou, nesta quarta-feira, 4, a ampliação da estrutura física do Hemocentro Coordenador Professor Nion Albernaz — prédio inaugurado há 31 anos. Sua área será ampliada em 65% com o objetivo de atender a grande demanda de coleta e transfusão de sangue.

O investimento para execução da obra é de R$ 5,16 milhões. O valor já foi repassado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) ao instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) e depositado em fundo específico na Caixa Economica Federal. Outros recursos, já estão assegurados pela SES, serão aplicados para aquisição de mobílias e equipamentos.

“A planta foi produzida com muito carinho e toda a beleza arquitetônica. Ao mesmo tempo terá funcionalidade e ampliação de 63% da capacidade de atendimento aos doadores. Além de uma aparelhagem moderna para podermos avançar com os hemoderivados que precisamos para ampliação de cirurgias, como o transplante de rins, por exemplo, e outras que exigem todo esse aparato”, explicou o governador Ronaldo Caiado.

O democrata reforçou, ainda, que o dinheiro para realização da obra “já está na conta”. Sobre os prazos, disparou: “Não vou abrir mão de um único dia. São 150 dias contados a partir de amanhã [5 de dezembro]. (…) Eles já estão com a garantia de recebimento; não é obra como as do governo anterior que o cidadão começava e não acabava”, disse.

De acordo com a equipe técninca que acompanha a obra, a área construída passará dos atuais 1.995 m² para 3.295 m². A reforma implicará, ainda, na criação de um novo pavimento e estruturas próprias para farmácia, almoxarifado, sala de descompressão e convivência para colaboradores. Além disso, haverão também salas específicas para abrigar geradores, painéis elétricos e resíduos. O projeto também conta com ala exclusiva para ensino e pesquisa, salas de aula e auditório.

Secretário de Saúde, Ismael Alexandrino / Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Já o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, falou sobre a importância da reforma para os goianos. “A gente não compra sangue. Ele é um ente que, de fato, precisa ser doado. Com essa reforma, teremos equipamentos mais tecnologicos, ou seja, poderemos aumentar a velocidade do processamento das bolsas. Teremos também um trabalho mais otimizado para garantir maior possibilidade de recrutamento e processamento das doações. Hoje, por exemplo, recebemos em torno de 264 pacietes por dia, mas ampliaremos essa capacidade para 396 assim que a obra estiver concluída”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.