Presente na solenidade no Auditório Mauro Borges, o governador Marconi Perillo (PSDB) disse que o gestor público tem o “dever cívico e o dever ético” de garantir aos cidadãos um serviço de Saúde de qualidade

mar1
Foto: Wagnas Cabral

O Hospital de Doenças Tropicais (HDT) se tornou o primeiro hospital de infectologia do país e o segundo hospital público do Centro-Oeste a receber o selo de qualidade ONA 1, da Organização Nacional de Creditação. Presente na solenidade no Auditório Mauro Borges, o governador Marconi Perillo (PSDB) disse que o gestor público tem o “dever cívico e o dever ético” de garantir aos cidadãos um serviço em Saúde de qualidade, com foco no bem-estar do paciente.

O governador disse se sentir feliz por fazer o possível para mudar a saúde no Estado. “Quando alguém procura um hospital público ou privado, o faz num momento de dor”, afirmou, ressaltando a importância da atuação do poder público nesse sentido.

Marconi lembrou também de recente pesquisa divulgada pela Serpes que demonstrou que a nota média da população para o sistema estadual de Saúde é 9. “No HDT a nota é 9,2”, pontuou. “A nossa propaganda é a propaganda do que está sendo feito.”

Já o secretário Halim Girade afirmou que a certificação trata-se de uma imensa conquista para usuários do SUS em Goiás, já que o selo demonstra a excelência e a segurança para os pacientes.  O crédito para o trabalho desempenhado na saúde é ainda maior porque, como ressalta o governador, há dois anos o HDT estava sob “interdição ética” do Conselho Regional de Medicina (CRM-GO).

Os administradores do HDT destacaram o empenho da administração estadual em prol da melhoria dos serviços de saúde. “Em julho de 2012 encontramos o hospital num cenário muito difícil. Havia uma interdição ética, ou seja, uma situação em que considera mais seguro para o paciente ficar fora, do que dentro do hospital”, lembrou o superintendente geral do ISG, André Guanaes.

Segundo o funcionário, desde que assumiu a gestão hospitalar do HDT, o ISG criou o Setor de Gestão da Qualidade, responsável pelo monitoramento sistemático dos processos como os riscos à segurança de pacientes, visitantes e colaboradores, e implantação de melhorias contínuas.

Para que o HDT pudesse receber a certificação ONA, a unidade teve que passar por um diagnóstico completo, que analisou a padronização dos documentos internos, o efetivo funcionamento das comissões existentes, a dinâmica de processos da linha de cuidados com o paciente e as capacitações dos servidores e colaboradores. As unidades hospitalares creditadas são hospitais reconhecidos pelo padrão de excelência em todas as etapas do processo ao combinar segurança com ética profissional, responsabilidade e qualidade do atendimento.