Comando do município agora fica com Vilmar Mariano, que deve seguir Gustavo na legenda

Próximo ao fim do prazo para filiações para disputa eleitoral, Gustavo Mendanha confirmou filiação ao Patriota e entregou o cargo da prefeitura de Aparecida de Goiânia. O comando do município fica agora com o vice-prefeito, Vilmar Mariano. Ele, inclusive, também deve filiar-se ao partido de Mendanha, após desligamento do Podemos.

Gustavo Mendanha garantiu que assina a filiação ao Patriotas no sábado, 02, após negociar com uma extensa lista de partidos ao longo de seis meses. Antes de bater o martelo com o partido, sem tempo de TV ou fundo eleitoral, ele tentou diálogo com outras cinco siglas. No anúncio da filiação, Mendanha garantiu que recebeu a segurança que buscava ao longo das negociações. “Conversei com vários partidos, atores políticos do estado de Goiás e a legenda que mais me ofereceu conforto foi o Patriota”, declarou.

O Patriotas, entretanto, conta com o empresário e ex-governadoriável Jânio Darrot e o atual prefeito de Trindade Marden Júnior, que já anunciaram apoio ao governador Ronaldo Caiado (UB). Da mesma maneira, o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo, também mostrou tendência de apoio a Caiado. Parlamentares da sigla, o deputado estadual Amauri Ribeiro e federal Alcides Rodrigues também apoiam o atual governador.

Fonte próximas a Mendanha previam a possibilidade de desistência da disputa e permanência na prefeitura. Ao Jornal Opção, um político que pediu anonimato havia comentado que talvez fosse “mais adequado ficar mais dois anos e nove meses na Prefeitura de Aparecida de Goiânia”.

O agora prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano, deve seguir a decisão de Mendanha, também filiando-se ao Patriota. O partido era considerado pelo grupo e pelo próprio presidente Jorcelino Braga como plano de reserva, caso o apoio não se concretizasse com siglas maiores, como foi o caso. “Eu vou filiar onde o Gustavo filiar. Onde o Gustavo colocar o pé, eu coloco o pé junto. Estou com ele, definido com Gustavo”, afirmou Mariano. Na última terça-feira, 29, na posição de presidente do Podemos, Mariano pediu a desfiliação depois que o partido confirmou apoio à reeleição do governador Ronaldo Caiado.