Guilherme Gutemberg toma posse como desembargador e enaltece “senso de justiça” de José Eliton

Advogado tomou posse durante solenidade na última quinta-feira (28)

Divulgação

Empossado na última quinta-feira (28) no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), o advogado Guilherme Gutemberg Isac Pinto agradeceu ao governador José Eliton pela escolha de seu nome, em lista tríplice encaminhada pelo Judiciário, a partir de lista sêxtupla elaborada pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em cumprimento ao Quinto Constitucional, previsto na Constituição Federal, que permite a ascensão de advogados de carreira ao cargo de desembargador.

Em rápido discurso de improviso, o novo desembargador agradeceu ao governador pelo que chamou de “confiança antecipada”, ao escolhê-lo para ocupar um cargo de grande relevância no Judiciário goiano. Ele agradeceu o “senso de justiça” de José Eliton, que selecionou para a função o nome com maior votação na lista tríplice encaminhada pelo Judiciário.

Também o desembargador Carlos Alberto França, encarregado do discurso de boas-vindas ao novo colega, avaliou como “feliz escolha” do governador, que optou pelo nome de Guilherme Gutemberg, legitimando as escolhas prévias na OAB e no Tribunal de Justiça.

Guilherme Guttemberg entra na vaga surgida com a aposentadoria do desembargador Geraldo Gonçalves, que deixou o quadro ativo de desembargadores em dezembro de 2017. A lei exige que os candidatos integrantes tanto do Ministério Público quanto da OAB precisam ter, no mínimo, dez anos de exercício  profissional efetivo, reputação ilibada e notório saber jurídico.

  Goiano de Anápolis, o novo desembargador fixou residência na cidade de Goiás, após formar-se em direito pela Universidade Católica de Goiás (UCG), hoje PUC-Goiás.  No discurso de posse, ele preferiu falar de improviso, dispensando maiores formalidades. “Não vou perder o foco jamais de tudo que aprendi como advogado”, arrematou Gutemberg.

Ao longo de 13 anos, o novo desembargador integrou o Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da OAB GO, de setembro de 1999 a novembro de 2012, quando deixou o TED para concorrer à vaga pelo quinto constitucional no TJGO pela primeira vez. Ele já concorreu ao cargo nas vagas de Paulo Teles e de Floriano Gomes, e nas duas vezes foi para a tríplice.

Deixe um comentário