Gugu Liberato pode ser condenado em processo após morte de irmãs

Em agosto de 2007, duas jovens morreram por inalação de gás durante o banho em um apartamento do apresentador

Foto: Reprodução/Facebook

O apresentador Gugu Liberato responde a um processo que já se arrasta há 11 anos após a morte de duas irmãs em uma das coberturas de um prédio no Rio de Janeiro da qual Gugu era dono. A informação é do Jornal Extra.

De acordo com a publicação, na época, de acordo com laudos de peritos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UERJ), uma obra realizada nos apartamentos teria alterado a chaminé coletiva do apart-hotel, o que teria causado a morte das meninas.

A corretora Conceição Gonçalves Ferreira, mãe das vítimas, moveu o processo contra a empresa Promoart, pertencente a Gugu. O julgamento acontecerá no próximo dia 29.

O caso

Em 2007, as meninas de 12 e 6 anos estavam no Brasil apenas passando férias. Após uma ida à praia, elas foram ao apartamento tomar um banho e acabaram falecendo.

Em comunicado, a assessoria de Gugu Liberato afirma que:

“Em relação ao processo judicial referente ao acidente ocorrido em agosto de 2007 que resultou na morte de duas crianças no Condomínio Barra Beach, Rio de Janeiro, após consulta aos seus advogados Dr. Carlos Regina e Dr. Eduardo Tavares Paes, a PROMOART informa que o processo segue os trâmites do Judiciário e que a empresa sempre esteve totalmente a disposição da justiça para apurar e esclarecer as reais responsabilidades”.

“Para realizar a reforma do imóvel, a PROMOART contratou os serviços da empresa SFERA ENGENHARIA, a qual se responsabilizou pela integral execução das obras”

“Por consequência a SFERA ENGENHARIA e seu engenheiro responsável respondem a processo movido pela PROMOART”

“Até a presente data, nenhuma pericia realizada foi conclusiva quanto a real causa do acidente. O que se tem como certo é que o banheiro onde ocorreu o vazamento de gás não estava de acordo com as regras técnicas, gerando deficiência que pode ter contribuído para o evento infeliz. Aliás, o Condomínio Barra Beach tem um histórico de acidentes semelhantes, relacionados ao mesmo problema de escapamento de gás, todos anteriores às obras de reforma realizadas na cobertura”

“O caso segue ainda sub judice e também são réus o próprio Condomínio Barra Beach e o proprietário do apartamento onde as crianças estavam hospedadas. O apresentador AUGUSTO LIBERATO não aparece como réu do processo, não podendo assim se manifestar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.