Grupo Sion diz que bolivianos parados em Goiânia não vão para Brasília

Empresa com sede na Bolívia desmente informação divulgada na quinta-feira (14/4) de que três ônibus vindos daquele país seriam reforço nos atos contra o impeachment no domingo (17)

Os bolivianos que estavam nos ônibus parados na GO-060, na verdade, vieram a Goiânia para evento do Grupo Sinai |Foto: PRF-GO

Os bolivianos que estavam nos ônibus parados na GO-060, na verdade, vieram a Goiânia para evento do Grupo Sion, do ramo imobiliário |Foto: PRF-GO

O Grupo Sion, empresa com sede na Bolívia há mais de dez anos, informou por meio de nota nesta sexta-feira (15/4) que os ônibus vindos daquele país e parados na quinta-feira (14) em Goiânia não vieram ao Brasil para participar da manifestação contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) no domingo (17) em frente ao Congresso Nacional, em Brasília (DF).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou na manhã desta sexta-feira que os três ônibus foram abordados por volta das 14 horas de quinta-feira na GO-060, entre Guapó e Abadia de Goiás. “A PRF realizou a fiscalização dos documentos dos passageiros e do veículo e não encontrou nenhuma irregularidade”, informaram os policiais.

Segundo o Grupo Sion, do ramo imobiliário, tratam-se de três ônibus com 160 vendedores que chegaram a Goiânia para participar do coquetel de inauguração de mais uma empresa ligada ao Grupo Sion na capital goiana. O evento acontecerá neste sábado (16), no Setor Oeste, na sede em Goiânia.

Já no domingo (17), mesmo dia da votação da abertura ou não do processo de impeachment em Brasília, o grupo de bolivianos participará de um almoço de lançamento do primeiro empreendimento do Grupo Sion no Brasil, em uma fazenda adquirida pela empresa no Lago Corumbá IV, em Luziânia (GO).

“O motivo não tem relação nenhuma com as manifestações políticas que estão acontecendo no Brasil”, informou na nota o Grupo Sion. A empresa informou que se coloca à disposição para dar mais informações sobre o mal-entendido e “lamenta as especulações”.

De acordo com a PRF, o grupo tinha permissão legal para realizar o “trânsito de veículos” dentro do País e os motoristas apresentaram toda a documentação exigida pelos policiais.

“Segundo informação dos viajantes, eles estariam se deslocando para um congresso sobre o mercado imobiliário em Goiânia. De acordo com a autorização, os veículos podem trafegar até Goiânia e, daqui, retornarem para o seu local de origem”, declarou a PRF na manhã desta sexta.

Leia a nota completa do Grupo Sion:

Desde quinta-feira (14) estão sendo veiculados em importantes sites de notícias informações de que ônibus vindos da Bolívia estariam chegando para um ato pró-Dilma em Brasília.

O Grupo Sion (empresa com sede na Bolívia há mais de 10 anos no ramo imobiliário) vem a público esclarecer que os três (03) ônibus com 160 vendedores chegaram a Goiânia ontem (quinta-feira), cidade destino.

O motivo não tem relação nenhuma com as manifestações políticas que estão acontecendo no Brasil.

O único e verdadeiro motivo para a chegada dos bolivianos na capital goiana é para o coquetel de inauguração de mais uma empresa do Grupo Sion em Goiânia que vai acontecer neste sábado (16), na sede da empresa instalada no setor Oeste; e para um almoço de lançamento do primeiro empreendimento do grupo no Brasil em uma fazenda adquirida no Lago Corumbá IV, Luziânia (GO), no domingo (17).

O grupo internacional, conta com 20 empresas na Bolívia, uma em Cancun (México) e agora chega ao Brasil, no Estado de Goiás, com a Efrata Empreendimentos Imobiliários e Construções. O Grupo Sion esclarece ainda que desde agosto de 2015 a empresa visita o país para implantação dos seus projetos e que a data para estes eventos já estavam programadas há meses.

O Grupo Sion lamenta as especulações e se coloca a disposição para mais informações.

Grupo Sion

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Mário Couto

Qual o telefone de vocês