Um grupo de 11 estelionatários, suspeito de provocar um prejuízo de R$ 100 mil por meio do golpe do boleto reverso, foi preso durante operação nesta terça-feira, 25. A ação, batizada de Operação Pé de Coelho, visa combater crimes de fraude eletrônica, associação criminosa e lavagem de dinheiro. 

LEIA TAMBÉM

Grupo que faturava R$ 100 mil por mês praticando estelionato no DF é preso em Goiânia

Dupla que movimentou R$ 2 bilhões com estelionato é presa em Goiânia

Os crimes, conforme a Polícia Civil (PC), ocorreram contra uma lotérica de Goiânia. Ao todo, a corporação goiana, com o auxílio da PC do Pará, cumpre 14 mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão em Goiânia, Guapó, Senador Canedo, Brasília (DF), Belém (PA) e Ananindeua (PA). 

A polícia informou que o golpe ocorre quando há a criação de boletos falsificados que imitam documentos bancários legítimos, com propósito de enganar as vítimas e induzi-las a efetuar o pagamento para contas controladas por infratores.

Ao invés de a quantia ir para a conta do beneficiário real, ela é revertida para a conta dos autores. A fraude ocorre tanto de forma material – pela alteração do código de barras – como por meio de métodos de engenharia social.