Grupo é preso em Goiás suspeito de dar golpes que somam R$ 5 milhões a empresas de todo país

Quadrilha era responsável por revender mercadorias sem realizar o pagamento aos vendedores iniciais

Foto: Divulgação/PC

Quatro homens foram presos nesta quarta-feira (22/8) suspeitos de integrar uma organização criminosa que realizava fraudes em vários estados contra empresas. Os golpes, que foram praticados em Goiás, Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, somam R$ 5 milhões.

A Operação Canindé, realizada pela 1ª DDP de Valparaíso, identificou que as fraudes eram realizadas da seguinte forma: Primeiramente, as empresas abertas em nomes de laranjas adquiriam mercadorias de outras pessoas jurídicas; e, então, inicialmente, visando adquirir confiança, as aquisições eram e pagas à vista.

Após algumas transações comerciais regulares, as empresas constituídas em nomes de laranjas negociavam uma grande aquisição (de altíssimo volume), exatamente com aquelas empresas cuja confiança já haviam conquistado, sendo que, após celebrarem o “grande negócio”, as empresas laranjas encerravam as atividades e não pagavam às vítimas.

Em um próximo passo, as mercadorias adquiridas fraudulentamente, sem o devido pagamento, eram repassadas para receptadores, que aparentemente fazem parte do esquema, os quais revendiam os bens por preços menores que os praticados no mercado.

Durante a operação, realizada com apoio da Secretaria de Fazenda do Estado de Goiás (Sefaz),
a Polícia Civil de Goiás (PC-GO) cumpriu treze mandados de busca e apreensão nos municípios goianos de Luziânia, Cidade Ocidental, Novo Gama e Valparaíso, bem como no Distrito Federal (Santa Maria e Águas Claras). Segundo a corporação, as investigações continuam.

Os envolvidos responderão por estelionato, organização criminosa, receptação, falsidade ideológica e crimes contra a ordem tributária.

Deixe um comentário