Greve dos bancários: veja a situação dos bancos em cada Estado

Após assembleia em todo o Brasil, funcionários de bancos privados e públicos divergiram quanto à manutenção da paralisação

Foto: Tânia Rêgo/Agencia Brasil

Foto: Tânia Rêgo/Agencia Brasil

Após 21 dias de greve, alguns bancos do País voltaram funcionar nesta terça-feira (27/10). A paralisação em diversas agência foi encerrada na noite da última segunda-feira (27), depois de várias rodadas de negociações e a orientação do Comando Nacional dos Bancários.

Todos os bancos privados decidiram pelo fim da paralisação. Entretanto, variando de Estado para Estado, alguns bancos públicos decidiram manter a greve. Somente no Mato Grosso e em Roraima os bancários decidiram em sua totalidade manter a greve.

A maior parte dos bancários aceitou o acordo da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que ofereceu reajuste de 10% sobre os salários, a participação nos lucros e resultados (PLR) e o piso da categoria. A proposição da Fenaban veio em resposta à reivindicação de 16% da categoria. Também houve o reajuste de 14% para os vales-refeição e alimentação.

Os bancários garantiram ainda, com o reajuste de 10 % sobre a PLR, que a parcela adicional será de 2,2% do valor do lucro líquido, distribuído linearmente.

Confira como está a greve em cada Estado:

Amazonas: os bancos privados voltaram ao trabalho nesta terça-feira (27). Dos bancos públicos, somente o Banco do Brasil (BB) encerrou a greve. A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco da Amazônia permanecem paralisados.

Acre: todos os bancos encerraram a greve, menos a CEF e o Banco da Amazônia.

Amapá: todos os bancos voltaram ao trabalho, menos o Banco da Amazônia, que segue com a paralisação até definição em reunião nesta terça-feira (27).

Pará: os bancos privados (Itaú, Bradesco, Santander e HSCB) voltaram ao trabalho, assim como o Banco do Estado do Pará (Banpará). Já os funcionários do BB e da CEF decidiram manter a greve.

Rondônia: maioria decidiu pelo fim da greve nos bancos privados (Santander, HSBC, Bradesco e Itaú) e no Banco do Brasil. Os funcionários da Caixa Econômica Federal decidiram manter a paralisação.

Roraima: os bancários rejeitaram todas as propostas da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Tocantins: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e bancos privados voltaram ao trabalho. O Banco da Amazônia continua em greve.

Goiás: bancários do BB e bancos privados voltaram ao trabalho. Caixa, entretanto, continua paralisada.

Distrito Federal: bancários do BB e bancos privados voltaram ao trabalho. Caixa, entretanto, continua paralisada.

Mato Grosso: todos os bancos permanecem em greve.

Mato Grosso do Sul: todos os bancos encerraram a greve.

Minas Gerais: os bancários de Belo Horizonte e Região votaram pelo fim da greve.

São Paulo: bancários dos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa Federal aprovaram a proposta e encerraram a greve.

Rio de Janeiro:  bancários dos bancos privados, BB e CEF aprovaram a proposta e encerraram a greve.

Espírito Santo:  bancários dos bancos privados, BB e CEF aprovaram a proposta e encerraram a greve.

Rio Grande do Norte: os bancos privados decidiram voltar ao trabalho. Já o BB, a CEF e o Banco do Nordeste continuarão em greve.

Paraíba: bancos privados, Banco do Brasil e Caixa encerraram a greve. O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) continua paralisado.

Piauí: decidiram pelo fim da greve nos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa. Já os bancários do Banco do Nordeste continuam com a paralisação.

Pernambuco: os bancos privados decidiram voltar ao trabalho. Já o Banco do Brasil, Caixa e Banco do Nordeste continuarão em greve.

Maranhão: decidiram pelo fim da greve nos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa. Já os bancários do Banco do Nordeste e Banco da Amazônia continuam com a paralisação.

Alagoas: decidiram pelo fim da greve nos bancos privados e Caixa. Os bancários do Banco do Brasil decidiram manter a greve e os funcionários do Banco do Nordeste ainda farão uma outra assembleia, nesta terça-feira (27), para reavaliar a proposta apresentada pelo Fenaban.

Bahia: decidiram pelo fim da greve nos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa. Já os bancários do Banco do Nordeste continuam com a paralisação.

Ceará: os bancos privados decidiram voltar ao trabalho. Já o Banco do Brasil, Caixa e Banco do Nordeste continuarão em greve.

Sergipe: bancários dos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa Federal aprovaram a proposta e encerraram a greve. Somente o Banco do Nordeste continua paralisado.

Santa Catarina: o Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região estiveram reunidos em assembleia e após votação todos os bancos da base de Florianópolis e região encerraram a greve.

Rio Grande do Sul: os bancários de bancos privados aprovaram a proposta e voltaram ao trabalho, assim como o Banrisul. Já o Badesul, decidiu manter a paralisação, e funcionários farão nova mobilização nesta terça-feira (27). A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil também decidiu pelo encerramento da greve.

Paraná: voltaram a trabalhar os bancários de bancos privados e do BB. Funcionários da CEF continuam em greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.