Greve da Guarda Municipal chega ao fim após negociação com presidente da Câmara

Reunião também teve presença do SindiGoiânia. Das quatro reivindicações, três foram atendidas

A Guarda Civil Metropolitana de Goiânia suspendeu a greve da categoria, na tarde desta quarta-feira (15/4), após negociação com o SindiGoiânia e o presidente da Câmara Municipal, Anselmo Pereira (PSDB). Grupo estava de greve desde o último dia 6.

Das quatro exigência na pauta de reivindicações da Guarda, três foram atendidas, sendo elas: promoção de quase 160 guardas, com progressão de nível — guarda 1 para guarda 2, e guarda 2 para guarda 3 –, que pôde ser conquistado após maior qualificação dos profissionais; asseguramento do auxílio-uniforme (verba para produção do uniforme agora será repassada para os guardas) e mudança no plano de carreira, com possibilidade de promoção de um guarda para subinspetor.

Além dessas conquistas, a portaria que suspendeu por 60 dias três guardas, foi revogada e entregue ao comando de greve. De acordo com o presidente Anselmo Pereira, a única reivindicação na pauta dos grevistas que não foi atendida é referente ao vale-refeição.

Desta forma, na reunião decidiu-se pela formação de um comitê constituído pelo SindiGoiânia, a Associação da Guarda Municipal e os vereadores Anselmo e Djalma Araújo (PT). De acordo com o tucano, após a aprovação da Reforma Administrativa, o grupo irá começar a discutir a reposição do vale de R$ 237.

Por fim, segundo Anselmo, também será discutido a volta do agrupamento “Garra”, da Guarda Civil, que utiliza motocicletas no trabalho. Para tanto, o presidente explica que estão trabalhando para adquirir oito motos para o agrupamento, composto por 32 guardas.

As decisões já foram publicadas em decreto no site da Prefeitura de Goiânia. A categoria volta ao trabalho na próxima quinta-feira (16/4).

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Otoniel Morais

Resolveu apenas o caso da progressão vertical de poucos GCM’s, a maioria trabalhou oito anos para ter o direito e está sendo enrolado pelo prefeito. GCM já tinha direito de progredir para subinspetor, o que é preciso fazer é realização do concurso interno.O prefeito deve achar que GCM não se alimenta.

Israel Carvalho

vdd meu grande amigo vc estar coberto de razão !!