Greve da Educação está suspensa, aulas voltam na segunda, 15

Presidente do Sintego afirma que ação é estratégica e quer ampliar pautas

Greve da Educação está suspensa, aulas voltam na segunda, 15
Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Greve da Educação está suspensa. Na Praça Cívica, em uma nova assembleia geral da Educação, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) propôs a suspensão da greve, deflagrada no dia 1º de abril.

A proposta foi acolhida de forma absoluta. Segundo a presidente do Sintego, Bia de Lima, esta ação é estratégica. “Faremos isso para arregimentar as forças para retomar na luta”, disse ao frisar que a ideia é ampliar pautas.

As aulas retornam na próxima segunda-feira, 15.

Demandas

Apesar do encerramento da greve, a categoria ainda exige a quitação da folha salarial de dezembro e outros itens, como: progressão de carreira, concursos públicos e mais. O entendimento do Sintego, conforme anunciado em discurso, é que a entidade estaria perdendo tempo “só discutindo dezembro”.

A proposta, vale destacar, foi feita após o governo afirmar que não discutirá as outras demandas enquanto a greve durasse, segundo dito na assembleia. “Vamos suspender de forma estratégica, para depois retomar com muito mais força, com muito mais pessoas envolvidas, inclusive com aqueles que não estavam em greve”, discursou Bia.

Enfraquecimento

A professora do Estado, Viviane, afirmou que o movimento enfraqueceu e que aqueles que deveriam estar “aqui brigando” não vieram. “O mais justo é parar. Não tem outro jeito”, disse.

Para ela, um dos fatores que contribuiu para o enfraquecimento foi o fato de os contratados temporários terem sido ameaçados de demissão. “Então, eles não vieram”, disse.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Alba Borges de Medeiros

Quando é que os professores foram unidos? Classe de gente pobre. Morre de medo de brigar por miséria. São fracos. São fortes só na hora de votar nessa cambada, aí viram boiada.